Mercados Obrigações ameaçam escalada das bolsas
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Obrigações ameaçam escalada das bolsas

As bolsas mundiais arrancaram o ano com o “pé direito” e os analistas continuam a acreditar que há margem para mais ganhos. Contudo, alertam para o surgimento de alguns riscos que podem levar a uma correcção no curto prazo.
Obrigações ameaçam escalada das bolsas
Lucas Jackson/Reuters
Raquel Godinho 01 de fevereiro de 2018 às 06:00

O arranque de 2018 foi positivo para os mercados accionistas, a nível global. Nos EUA, foi o melhor desde 1987 e, a nível mundial, o segundo melhor de sempre. E, depois destes ganhos, há margem para mais? Os bancos de investimento )

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Advogado do Diabo Há 3 semanas

É sempre de valorizar, o esforço de prestar, de recolher e de publicar, testemunhos de agentes ativos e altamente qualificados dos Mercados de Capitais.
Reconhece-se também o grande valor histórico desses testemunhos
para compreender em profundidade,
não o que se prevê que se venha a passar,
mas o que já se passou.
Mas alerta-se contra os riscos de transplantar para o domínio dos testemunhos sobre os Mercados de Capitais,
o que é uma absoluta necessidade pragmática no campo da Política:
transmitir opiniões com uma convicção
que não instilem qualquer necessidade de prudência ou ceticismo, relativamente à sua fiabilidade.
Na Politica ou nos Mercados de Capitais, ninguém é Guru ou Profeta,
se não falar com absoluta convicção sobre a possibilidade de concretização das suas previsões.
Ora, diz-nos a experiência que, no caso dos Mercados de Capitais,
(e provavelmente ainda mais no campo da Politica)
os Gurus acertam com a probabilidade possível:
inferior ao de atirar uma moeda ao ar.

comentários mais recentes
Advogado do Diabo Há 3 semanas

É sempre de valorizar, o esforço de prestar, de recolher e de publicar, testemunhos de agentes ativos e altamente qualificados dos Mercados de Capitais.
Reconhece-se também o grande valor histórico desses testemunhos
para compreender em profundidade,
não o que se prevê que se venha a passar,
mas o que já se passou.
Mas alerta-se contra os riscos de transplantar para o domínio dos testemunhos sobre os Mercados de Capitais,
o que é uma absoluta necessidade pragmática no campo da Política:
transmitir opiniões com uma convicção
que não instilem qualquer necessidade de prudência ou ceticismo, relativamente à sua fiabilidade.
Na Politica ou nos Mercados de Capitais, ninguém é Guru ou Profeta,
se não falar com absoluta convicção sobre a possibilidade de concretização das suas previsões.
Ora, diz-nos a experiência que, no caso dos Mercados de Capitais,
(e provavelmente ainda mais no campo da Politica)
os Gurus acertam com a probabilidade possível:
inferior ao de atirar uma moeda ao ar.

Alfon Há 3 semanas

Tudo gente com bola de cristal.

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub