Petróleo OPEP chega a acordo para cortar 1,2 milhões de barris por dia

OPEP chega a acordo para cortar 1,2 milhões de barris por dia

Já há acordo entre os membros da OPEP. A produção de petróleo será cortada em 1,2 milhões de barris por dia para um total de 32,5 milhões de barris, segundo uma fonte à Bloomberg. Este valor estava já a ser avançado no mercado.
OPEP chega a acordo para cortar 1,2 milhões de barris por dia
Bloomberg
Ana Laranjeiro 30 de Novembro de 2016 às 13:29
Os países que compõem a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) já terão fechado o acordo para cortarem em 1,2 milhões de barris por dia a produção de petróleo, segundo a Bloomberg que cita um delegado do cartel. A confirmar-se a produção diária entre os membros do cartel vai ser de 32,5 milhões de barris por dia.

Os preços do petróleo continuam a registar uma forte valorização nos mercados internacionais, animados pelas notícias de um acordo entre o cartel. O West Texas Intermediate avança 7,01% para 48,40 dólares por barril. O Brent do Mar do Norte, referência para as importações nacionais, dispara 7,37% para 49,80 dólares por barril. Tendo, contudo, já ultrapassado a fasquia dos 50 dólares nesta sessão.

O mercado sabia já da possibilidade de a produção diária ser cortada para 32,5 milhões de barris uma vez que esta era a proposta feita pela Argélia, apresentada esta terça-feira. A proposta previa que os 14 membros da OPEP cortassem a produção de 33,6 milhões de barris diários para 32,5 milhões de barris. Analistas do Goldman Sachs, citados pelo Market Watch, avançaram esta manhã que "se a proposta da OPEP para cortar a produção para 32,5 milhões de barris por dia for assinada, esperamos que os preços subam para 50 dólares por barril".

As últimas semanas foram de negociação nomeadamente entre os membros do cartel. A agência de notícias escreve que para que este acordo tenha sido alcançado, os três principais produtores - Arábia Saudita, Iraque e Irão - sanaram as suas divergências no que diz respeito a suportarem o "fardo" da diminuição da produção.

O secretário-geral da OPEP tinha adiantado esta manhã, segundo o Market Watch, que o acordo vai ser alcançado esta quarta-feira, 30 de Novembro. O ministro iraquiano do Petróleo, Jabbar al-Luaibi, adiantou também essa ideia. Al-Luaibi defendeu, citado pela Bloomberg, que os membros do cartel são unânimes quanto à decisão de cortar a produção."Estou optimista que vamos ter resultados positivos". "Vai haver um corte, sim, definitivamente".

Bijan Namdar Zanganeh, ministro iraniano do Petróleo, alinha no discurso que a OPEP vai alcançar um acordo, embora Teerão vá ter outro acordo em vez de congelar a produção.

 

Aliás, as últimas informações avançadas pelo Market Watch e pela Bloomberg dão conta que a Arábia Saudita estará disponível para aceitar que o Irão produza 3,9 milhões de barris por dia. De acordo com fontes da Bloomberg, o reino Saudita vai permitir que Teerão aumente a sua produção para níveis próximos dos que tinha antes da imposição de sanções. A confirmar-se, o Irão poderá produzir assim 3,975 milhões de barris por dia.


(Notícia actualizada pela última vez às 13:51)



A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado ChinesShangai Há 2 semanas

És um porco, vai trabalhar deixa o computador da biblioteca do Bairro para os putos e vai procurar trabalho asno.

comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

Diz o ditado:poupa-se no verao para ter no inverno.Se os paises usaram este metodo,as guinadas dos petroleiros serao passageiras,caso contrario e mais um fardo a juntar ao da aguamort da blocada.Eu penso que o preco dos gasosos ainda nao bateu no fundo e isto nao e mais que 1 querer assustar,mas.

Anónimo Há 2 semanas

A ser verdade esta medida reforça Trump ,aumenta a utilização do carvao,produçao do gás de xixto e aumento das reservas seladas de petróleo nos EUA..Vem tb favorecer o Canadá e o Brasil entre outros, afundando a medio prazo a economia dos membros e redirecion o investime em energias alternativas.

Ciifrão Há 2 semanas

Já há acordo? A reunião mal começou e já se avança com as conclusões? Especulação pura para para enganar gananciosos, veremos se as contas não saem furadas.

Anónimo Há 2 semanas

Todas estas noticias só se tornam verdadeiras, se sair um acordo hoje de viena, para já não há qq acordo, apenas as gralhas de jornalistas e especuladores a falarem. Nada de concreto ainda foi decidido, a reunião dos ministros da OPEP ainda está decorrer...a provar para quem quiser acompanhar em direto TV 171st Meeting of the OPEC Conference, 30 November 2016 : http://www.opec.org/opec_web/en/multimedia/349.htm

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub