Petróleo OPEP tenta acordo para reduzir produção e aumentar preço do petróleo

OPEP tenta acordo para reduzir produção e aumentar preço do petróleo

Os responsáveis da OPEP discutem este sábado com a Rússia e outros países que não pertencem à organização um plano para a redução da oferta de petróleo destinado a diminuir o excesso de produção e a aumentar os preços.
OPEP tenta acordo para reduzir produção e aumentar preço do petróleo
Heinz-Peter Bader/Reuters
Lusa 29 de Outubro de 2016 às 18:54

"O processo de recuperação levou muito tempo e não podemos correr o risco de atrasar o ajustamento a médio prazo", afirmou o secretário-geral da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), Mohamed Barkindo, numa intervenção proferida na abertura do encontro que decorre em Viena, Áustria.

A Rússia recusou-se a fazer qualquer comentário antes deste encontro, embora a OPEP e este país – o principal produtor de petróleo juntamente com a Arábia Saudita – tenham tido reuniões frequentes no sentido de reforçar a sua cooperação para diminuir a volatilidade dos preços.

Na sexta-feira, os países membros da OPEP, liderada pela Arábia Saudita, reuniram-se na capital austríaca para traçar os detalhes de um plano que deverá ser adoptado na cimeira de 30 de Novembro.

A OPEP decidiu no final de Setembro, em Argel, limitar em 2017 a produção dos seus 14 membros entre os 32,5 e 33 milhões de barris por dia, abaixo dos 33,4 milhões de barris produzidos este Verão, de modo a estabilizar os preços, em níveis muito baixos devido ao excesso de produção.

A adesão de grandes produtores que não são membros da organização estabilizaria ou elevaria o valor do crude o que, na opinião de alguns países, como a Venezuela, deveria situar-se nos 70 dólares por barril, contra os 47 dólares actuais.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

no way oil is going fucking down

pub