Petróleo OPEP volta a rever em alta estimativas para a produção dos EUA

OPEP volta a rever em alta estimativas para a produção dos EUA

O cartel espera agora um crescimento da produção norte-americana de 820 mil barris por dia (mais 110 mil do que a anterior projecção) para cerca de 5,42 milhões de barris por dia.
OPEP volta a rever em alta estimativas para a produção dos EUA
DR
Rita Faria 18 de janeiro de 2018 às 13:39

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) reviu em alta as estimativas para o crescimento da oferta dos produtores rivais depois de os preços da matéria-prima terem atingido máximos de mais de três anos nos mercados internacionais.

Ainda que os cortes na produção acordados pelo cartel tenham sido bem-sucedidos na redução do excedente de matéria-prima e aumento dos preços, a subida das cotações acaba por ter um efeito indesejado para a OPEP, que é estimular os rivais a aumentarem a sua própria produção, para tirarem vantagem da subida dos preços.

"O aumento dos preços do petróleo está a trazer mais oferta para o mercado, particularmente da América do Norte", afirma a OPEP, no seu relatório mensal, divulgado esta quinta-feira.

No relatório, o grupo revê em alta as suas estimativas para o crescimento da oferta dos países fora da OPEP em 160 mil barris por dia, ou 16%, para um total de 1,15 milhões de barris por dia, em 2018.

Em relação ao crude dos Estados Unidos, a OPEP espera agora um crescimento da produção de 820 mil barris por dia (mais 110 mil do que a anterior projecção) para cerca de 5,42 milhões de barris por dia.

Neste fim-de-semana, os membros da OPEP e os seus parceiros – incluindo a Rússia – vão reunir-se em Omã, para rever a sua estratégia de controlo do excedente global. A subida dos preços da matéria-prima já levou o ministro iraniano do petróleo a alertar para o crescimento da produção norte-americana, mas os ministros dos Emirados Árabes Unidos, Iraque e Kuwait insistem que não há necessidade de mudar o plano, devendo o cartel seguir com os cortes até ao final do ano.

Nesta altura, o West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, ganha 0,09% para 64,03 dólares, enquanto o Brent, transaccionado em Londres, cai 0,06% para 69,33 dólares. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
Saber mais e Alertas
pub