Mercados Paulo Rodrigues da Silva será o novo presidente da Bolsa

Paulo Rodrigues da Silva será o novo presidente da Bolsa

Sucessor de Maria João Carioca, de saída para a Caixa Geral de Depósitos, está escolhido. Novo gestor fez carreira na Vodafone e era um dos nomes da administração de António Domingues para o banco público.
Paulo Rodrigues da Silva será o novo presidente da Bolsa
Miguel Baltazar/Negócios
Tiago Freire 16 de fevereiro de 2017 às 17:37
Paulo Rodrigues da Silva será o próximo presidente da Euronext Lisboa, sucedendo a Maria João Carioca, que está de partida para a equipa de Paulo Macedo na Caixa Geral de Depósitos, avançou esta tarde o jornal electrónico ECO.

Ao que o Negócios apurou, o nome não é ainda oficial porque carece de aprovação de vários reguladores, a nível nacional mas também internacional. Só após essa luz verde, que se espera para breve, haverá o anúncio formal da substituição.

Maria João Carioca será administradora executiva da Caixa, mas só sairá quando tiver substituto designado na bolsa ou, o mais tardar, a 6 de Março, dia no qual termina o período de pré-aviso obrigatório estipulado no seu contrato.

Paulo Rodrigues da Silva começou a sua carreira na McKinsey, ficando na consultura do início de 1990 ao final do ano seguinte. Em 1995 entra para o BPI, onde ficou cinco anos, fazendo parte da administração e tendo o cargo de Chief Information Officer.  

Seguiu-se um longo período na Vodafone, em vários papéis, percurso iniciado em Setembro de 2000. Até 2004 foi Chief Tecnhology Officer, e em Abril desse ano começou a assumir responsabilidades internacionais no grupo, mantendo-se como administrador da unidade portuguesa. Entre 2007 e 2009 foi ainda Chief Commercial Officer da Vodafone Turquia. 

Sai da operadora em 2009 e dedica-se a vários projectos e à consultoria. Voltou a ser muito falado na segunda metade de 2016, como uma das apostas de António Domingues para a administração da Caixa Geral de Depósitos. Depois da questão da entrega da declaração de património ao Tribunal Constitucional, Paulo Rodrigues da Silva foi um dos designados que saiu, assim como Domingues.

Nessa equipa, que durou pouco, tinha os pelouros da Comunicação, Marketing e Sistemas de Informação. 

Prepara-se agora para ser o terceiro presidente da bolsa portuguesa em menos de dois anos.



A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
surpreso 16.02.2017

"Bolsa" ou BURACO?

Parabéns 16.02.2017

O lugar é bom, bem remoderado e com pouco trabalho... e a restetiva não abre falência!

Joka 16.02.2017

Pode ser que leve a bolsa a bom porto.

JB 16.02.2017

Mudam as moscas e a m...é a mesma! um vendido, sempre foi!!!!

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub