Mercados Pequim vai permitir negociação de empresas estrangeiras nas bolsas chinesas

Pequim vai permitir negociação de empresas estrangeiras nas bolsas chinesas

A China permitirá a cotação de empresas estrangeiras nas bolsas do país, anunciou um alto funcionário governamental citado este sábado pelo jornal oficial China Daily.
Pequim vai permitir negociação de empresas estrangeiras nas bolsas chinesas
Reuters
Lusa 31 de dezembro de 2016 às 12:35

Pequim procura alargar os canais de financiamento às empresas estrangeiras que operam na China e atrair mais investimento externo, cujo crescimento abrandou em 2016. Neste âmbito, Ning Jizhe, vice-ministro da Comissão Nacional de Reforma e Desenvolvimento, o órgão de planeamento económico da China, disse ao jornal China Daily que Pequim apoiará as empresas estrangeiras que queiram entrar nas bolsas do país.

 

"O acesso dos investimentos estrangeiros à indústria e aos serviços financeiros, incluindo a banca, os seguros e a negociação de futuros será mais flexível", disse Ning. As empresas estrangeiras poderão emitir obrigações e recorrer aos instrumentos de financiamento de entidades financeiras chinesas, acrescentou.

 

Por outro lado, será facilitada a entrada de capital estrangeiro noutras áreas do sector terciário, como contabilidade ou arquitectura, disse o vice-ministro. Nas telecomunicações, internet e educação a abertura será mais gradual, por serem "indústrias sensíveis", segundo Ning.

 

O Conselho de Estado da China (Executivo) aprovou esta semana vários documentos para atrair mais investimento estrangeiro e, segundo o vice-ministro, os investidores de outros países ficarão sujeitos aos mesmos procedimentos que os chineses quando pedirem para estabelecer uma empresa na China.

 

O investimento estrangeiro na China desacelerou em 2016, tendo crescido 3,9% nos primeiros nove meses do ano, comparando com o mesmo período de 2015. No ano passado, tinha crescido 6,4%.

 

Já o investimento chinês no estrangeiro disparou, aumentando 55,3% entre Janeiro e Novembro deste ano.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar