Bolsa Pesos pesados ditam segunda sessão de perdas para o PSI-20

Pesos pesados ditam segunda sessão de perdas para o PSI-20

A Jerónimo Martins e a Galp Energia, ambas com descidas superiores a 1%, condicionaram a evolução do principal índice nacional, num dia misto na Europa.
A carregar o vídeo ...
Rita Faria 24 de julho de 2017 às 16:44

A bolsa nacional encerrou esta segunda-feira, 24 de Julho, em terreno negativo pela segunda sessão consecutiva. Com 12 cotadas em queda, cinco em alta e duas inalteradas, o PSI-20 desceu 0,61% para 5.263,68 pontos.

Na Europa, os principais índices dividem-se entre ganhos e perdas, num dia em que a apresentação de resultados trimestrais das empresas continua a condicionar a evolução das acções.

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, desce 0,28% para 379,11 pontos, penalizado sobretudo pelas cotadas do sector automóvel, penalizadas pelas notícias de que cinco construtoras alemãs (Volkswagen, Audi, Porsche, BMW e Daimler) terão formado um cartel desde os anos 1990, havendo concertação nomeadamente quanto à redução de emissões poluentes em veículos 'diesel'.

Segundo a Reuters, o conselho de supervisão da Volkswagen vai reunir esta quarta-feira para debater estas alegações.

Na bolsa nacional, a Galp Energia, a Jerónimo Martins e a EDP foram as cotadas que mais penalizaram o PSI-20. A retalhista caiu 1,76% para 17,27 euros, enquanto a sua congénere do sector, a Sonae, encerrou inalterada em 96,2 cêntimos.

Já a EDP perdeu 0,83% para 2,97 euros, depois de ter sido noticiado que o accionista norte-americano da EDP Renováveis não vai vender na oferta pública de aquisição (OPA) da eléctrica liderada por António Mexia.

A MFS Investment considera que o preço oferecido é baixo e lança várias críticas à metodologia usada pela EDP no prospecto para defender a sua oferta. A EDP Renováveis ganhou 0,48% para 6,931 euros. 

Ainda na energia, a REN deslizou 1,71% para 2,755 euros e a Galp Energia desvalorizou 1,48% para 13,315 euros, contrariando a evolução dos preços do petróleo nos mercados internacionais.  

A contribuir para a desvalorização do principal índice nacional estiveram ainda os CTT, a Nos, a Semapa e a Navigator. A empresa de correios recuou 1,12% para 5,454 euros e a operadora perdeu 0,68% para 5,403 euros. No sector da pasta e do papel, a Navigator, que apresenta resultados esta quinta-feira, desceu 1,25% para 3,704 euros, enquanto a Semapa, que reporta os seus números na sexta, caiu 1,09% para 16,84 euros. Já a Altri recuou 0,27% para 4,016 euros.

Fora do PSI-20, a Impresa desvalorizou 6,65% para 36,5 cêntimos, depois de ter chegado a afundar um máximo de quase 8%, depois de ter anunciado, na sexta-feira, o cancelamento de uma emissão de obrigações que podia ir até aos 35 milhões de euros. 

(Notícia actualizada às 16:50)




A sua opinião27
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
MASSA bruta + 0.18 BCP = xanax + XANAX 24.07.2017


ESTES RESSABIADOS do BCP JÁ TODOS TOMARAM XANAX POIS ESTA SEMANA VAI SER DURA COM os Dois MILENIUNS A APRESENTAREM LUCROS FENOMENAIS e nos próximos 3 meses o PSI 20 vai subir + de 50 % o IMOBILIARIO é que vai descer a PIQUE

O futuro o dirá 24.07.2017

Parece pouco acertado os comentários que mandam abaixo o BCP nesta altura. Houve motivos no passado para descer- por isso desceu - assim como há motivos agora para subir - por isso sobe. O mercado geralmente sabe o que faz. Mas só o futuro dirá quem está certo. A aposta no BCP parece a mais correcta

Sem novidades no BCP 24.07.2017

HAverá obviamente que confirmar no dia 27 mas o mercado tem grande confiança no fututo do BCP, senão não o teria valorizado tanto desde o AC. Segue a subir nos ultimos 6 meses, naturalmente que agora a ritmo inferior, mas a subir, que é o que interessa.

Sousa 24.07.2017

Mais que a variação diária que pouco diz, interessa aferir os resultados do 2T2017 para confirmar se a trajectória é a planeada ou se é preciso fazer ajustes. Se se confirmar, o BCP tem tudo para continuar a subida iniciada no AC. Os resultados, como sempre, é que vão determinar a cotação futura.

ver mais comentários
pub