Bolsa Petróleo afunda mas não arrasta Wall Street

Petróleo afunda mas não arrasta Wall Street

Os preços do crude mergulharam esta quarta-feira, seguindo a cair mais de 5% em Nova Iorque e 4% em Londres. Este desempenho castigou os títulos da energia, mas o sector financeiro ganhou força e teve mais influência no sentimento dos investidores.
Petróleo afunda mas não arrasta Wall Street
Reuters
Carla Pedro 07 de junho de 2017 às 21:32

O Dow Jones fechou a sessão desta quarta-feira a somar 0,18% para 21.173,69 pontos e o Standard & Poor’s 500 valorizou 0,20% para 2.433,08 pontos.

 

Também o tecnológico Nasdaq Composite ganhou terreno, tendo terminado a subir 0,36% para 6.297,37 pontos.

 

Os títulos da energia tiveram uma má performance, devido à queda dos preços do petróleo – que seguem a cair 5,06% no mercado nova-iorquino e 4% em Londres, devido ao inesperado aumento das reservas norte-americanas de crude e de gasolina na semana passada –, mas isso não foi suficiente para ofuscar as bolsas.

 

Com efeito, o bom desempenho do sector financeiro acabou por contrabalançar e ter mais influência no sentimento dos investidores, tendo Wall Street conseguido manter-se no verde.

 

Os ganhos não foram, contudo, expressivos. E tudo à conta de muita cautela perante uma quinta-feira repleta de novidades.

 

Com efeito, os mercados de capitais estão expectantes quanto a um importante trio de eventos amanhã – o ex-director do FBI testemunha no Senado, decorrem as eleições britânicas e teremos a decisão do BCE sobre política monetária – e preferem usar de prudência.

 

Na audição, no Senado norte-americano, do ex-director do FBI que foi demitido por Donald Trump, já se sabe que James Comey apresentará provas de que o presidente dos EUA lhe terá pedido para "deixar passar" uma investigação ao ex-conselheiro Michael Flynn.

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub