Petróleo Petróleo cai para mínimos de três meses com aumento da produção do Irão

Petróleo cai para mínimos de três meses com aumento da produção do Irão

O Brent negoceia pouco acima dos 44 dólares por barril - o valor mais baixo desde Agosto - na terceira sessão consecutiva de quedas. Os preços estão a ser penalizados pelo maior aumento da produção do Irão desde Janeiro.
Petróleo cai para mínimos de três meses com aumento da produção do Irão
Bloomberg
Rita Faria 14 de novembro de 2016 às 12:42

Os preços do petróleo estão a cair esta segunda-feira, 14 de Novembro, pela terceira sessão consecutiva, penalizados pelo aumento da produção do Irão e pelos dados que mostram que o número de plataformas petrolíferas operadas nos Estados Unidos é o maior desde Fevereiro.

O West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, desce 1,5% para 42,76 dólares, o valor mais baixo desde 20 de Setembro. Já o Brent, transaccionado em Londres, desce 1,16% para 44,23 dólares, depois de já ter tocado em mínimos de 11 de Agosto, nos 44,14 dólares.

Segundo o Ministério do Petróleo do Irão, o país aumentou a produção em três campos para 250 mil barris por dia, um valor que compara com os 65 mil barris diários que produziam em 2013.

O Irão já comunicou à Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) que, no mês passado, aumentou a sua produção total em 210 mil barris por dia para 3,92 milhões – o maior acréscimo desde que as sanções foram levantadas, em Janeiro.

O petróleo tem vindo a perder terreno nas últimas semanas devido ao cepticismo sobre a capacidade da OPEP de implementar um acordo na sua próxima reunião, em Viena, a 30 de Novembro.  

O cartel precisa de chegar a um entendimento sobre a forma como serão divididos os cortes da produção, que deverá ter um tecto máximo entre 32,5 e 33 milhões de barris por dia.

Segundo antecipou a Agência internacional de Energia, no passado dia 10 de Novembro, a menos que o grupo promova cortes significativos, os preços podem recuar ainda mais num cenário de crescimento da oferta global.

 

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub