Petróleo Petróleo desce com aumento das perfurações nos EUA

Petróleo desce com aumento das perfurações nos EUA

O crescimento da actividade de perfuração nos Estados Unidos está a alimentar os receios de que o aumento da produção norte-americana anule o efeitos dos cortes acordados pela OPEP.
Petróleo desce com aumento das perfurações nos EUA
DR
Rita Faria 17 de abril de 2017 às 09:39

Os preços do petróleo estão a recuar nos mercados internacionais esta segunda-feira, 17 de Abril, penalizados pelo aumento do número de plataformas de perfuração em funcionamento nos Estados Unidos.

Este crescimento intensifica os receios de que a expansão da oferta norte-americana acabe por anular os esforços da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) para diminuir o excedente no mercado e estabilizar os preços.

Depois de ter completado, na sexta-feira, a terceira semana consecutiva de ganhos, o West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, desce 0,77% para 52,77 dólares por barril, enquanto o Brent, transaccionado em Londres, recua 0,75% para 55,47 dólares.

Esta evolução acontece apesar de o CEO da Saudi Arabian Oil Company, Amin Nasser, ter garantido que o mercado petrolífero está a caminhar em direcção ao reequilíbrio e de vários membros da OPEP terem mostrado disponibilidade para prolongar o acordo sobre os cortes na produção para além de Junho.

Recorde-se que o cartel implementou no início deste ano um plano de redução da produção em cerca de 1,2 milhões de barris por dia durante o primeiro semestre, um acordo que poderá ser prolongado além do prazo inicial.

Num relatório publicado na semana passada, a Agência Internacional de Energia (AIE) considerou que o mercado internacional de petróleo está muito próximo do equilíbrio, prevendo que os stocks globais de "ouro negro" venham a cair se os cortes de produção se mantiverem.

"O mercado está já muito próximo do equilíbrio," refere o relatório da AIE conhecido na quinta-feira, 13 de Abril.


A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Conselheiro de Trump 17.04.2017

A OPEP ja nao (E)POP.Como os consumidores estao a saber manter os precos do crude.O velho continente esta metido no meio de uma incruzilhada:petroleo baixo,juros baixos,e economia a dar sinais de recuperacao,como vai ser possivel manter as 3 coisas em simultaneo sem que uma delas saia prejudicada?

pub