Bolsa Petróleo e incertezas com Trump pressionam Wall Street

Petróleo e incertezas com Trump pressionam Wall Street

As principais bolsas norte-americanas fecharam em ligeira baixa, penalizadas pela queda dos preços do petróleo e pela atitude prudente que se está a revelar nos mercados financeiros, numa altura em que os investidores esperam por uma clarificação acerca do timing e âmbito das medidas pró-crescimento prometidas pela Administração Trump.
Petróleo e incertezas com Trump pressionam Wall Street
Reuters
Carla Pedro 06 de fevereiro de 2017 às 21:35

O índice industrial Dow Jones encerrou a resvalar 0,09% para 20.052,42 pontos, enquanto o tecnológico Nasdaq Composite cedeu 0,06% para 5.663,55 pontos.

 

Já o Standard & Poor’s 500 terminou a recuar 0,21% para se estabelecer nos 2.292,56 pontos.

 

Os preços do petróleo desceram mais de 1% nos principais mercados internacionais, o que castigou os títulos da energia e contribuiu para a tónica negativa do outro lado do Atlântico.

 

Também a negociar no vermelho estiveram maioritariamente os títulos dos sectores industrial e financeiro.

 

Por outro lado, o facto de não haver ainda clarificação acerca do timing e alcance das medidas de estímulo ao crescimento dos EUA, prometidas pelo presidente Donald Trump, bem como o clima de incerteza política na Europa, em ano de eleições nalguns países, são factores que têm convidado a uma maior cautela por parte dos investidores.

 

O mercado aguarda pelos dados relativos à balança comercial norte-americana em Dezembro, que serão divulgados amanhã pelo Departamento do Comércio, sendo esperado que o défice comercial se tenha mantido constante face ao mês anterior, depois de em Novembro ter aumentado para um máximo de nove meses.

 

Entretanto continuam também a ser divulgados os resultados trimestrais de muitas cotadas. Numa altura em que mais de metade das empresas listadas no S&P 500 já apresentaram as suas contas, o saldo é positivo: cerca de 75% superaram as estimativas para os lucros e perto de 50% registaram vendas acima do esperado, de acordo com os dados compilados pela Bloomberg.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub