Bolsa Pharol e BCP sustentam ganhos em Lisboa

Pharol e BCP sustentam ganhos em Lisboa

A praça portuguesa terminou o dia com ganhos ligeiros, à semelhança das pares europeias. Ainda assim, as acções do Velho Continente terminaram em máximos de dois meses, beneficiadas pela banca, energia e sector automóvel.
Pharol e BCP sustentam ganhos em Lisboa
Pedro Catarino/CM
Paulo Zacarias Gomes 21 de setembro de 2017 às 16:42
As negociações na praça bolsista portuguesa saldaram-se por um balanço ligeiramente positivo esta quinta-feira, 21 de Setembro, com a Pharol a ganhar mais de 5% perante interesse de investidores chineses na Oi e o BCP a acompanhar os ganhos no sector financeiro na Europa.

O PSI-20 fechou a valorizar 0,19% para 5.305,98 pontos, com 10 títulos em alta e oito em queda, sendo contudo a valorização insuficiente para recuperar da queda de ontem que tinha posto fim a oito sessões consecutivas de ganhos.

A Pharol terminou a ganhar 5,81% para 0,346 euros, depois de ser divulgado pela brasileira Exame o interesse dos chineses da China Mobile na operadora Oi, de que a empresa portuguesa é accionista de referência, tendo havido contactos entre o regulador, a empresa chinesa e um banco. Ao longo da sessão a Pharol chegou a ter a maior valorização intradiária desde 15 de Agosto e terminou em máximos de cinco meses (18 de Abril).
 
Com o sector financeiro a contribuir para parte dos ganhos na Europa, o BCP acompanhou a tendência e terminou a subir 1,32% para 0,231 euros. A ajudar aos ganhos estiveram ainda a Sonae Capital (mais de 3%), a Navigator, a Galp e os CTT.

As valorizações da empresa postal (0,12% para 5,096 euros) aconteceram apesar de ter sido aprovado, em Conselho de Ministros, do uso de notificações electrónicas a advogados e defensores oficiosos em processo penal, que poupará 1,7 milhões de euros por ano no envio do correio postal. 

Em sentido contrário estiveram as quedas do universo EDP, da REN, Nos e do sector do retalho, com Sonae e Jerónimo Martins, no dia em que foi conhecida a detenção de um alto quadro da empresa dona da Ara na Colômbia, por suspeitas de corrupção. A maior queda do dia no índice, de 1,28%, coube à Mota-Engil, para 2,926 euros.

No Velho Continente as acções terminaram em máximos de dois meses, apoiadas além do sector financeiro também nos avanços do sector automóvel e das empresas energéticas, apesar dos avanços do euro penalizarem as exportadoras e da descida do preço do petróleo em Nova Iorque e Londres.

A enquadrar as negociações internacionais está a decisão de ontem da Reserva Federal começar a reduzir o balanço das aquisições de dívida em Outubro, o anúncio de novas sanções à Coreia do Norte previsto para hoje por parte de Donald Trump, bem como a proximidade das eleições alemãs e a descida do rating da China por parte da S&P devido ao aumento da dívida.

Em Espanha mantém-se o impasse quanto à marcação do referendo independentista para 1 de Outubro na Catalunha, com a bolsa de Madrid a negociar na linha de água.

(Notícia actualizada às 16:47 com mais informação)



A sua opinião29
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 4 semanas

a sério, não venham para aqui todos os dias com OPA's e preço da cotação triplicará, lucros de 600M€, ..., eu também gostaria que isso acontecesse, mas...
Abraço

comentários mais recentes
Anónimo Há 4 semanas

Não vejo ligação entre a subida da Pharol e o interesse dos Chineses! A proposta é muito fraca e desinteressante, só querem o bom (movel) e rejeitam o mau (fixo) e as multas Anatel! Isto até deve é levar a Oi a desvalorizar, como foi hoje no Brasil. A Pharol valorizou com o fecho de posições curtas!

Anónimo Há 4 semanas

Mas como é que o Ranhoso Massa Bruta é sempre o mais votado? Eu nem tenho possibilidade de votar! Isso é só para assinantes? É um enjoo levar com esta aberração todos os dias!

Psiquiatra Há 4 semanas

Avisam-se todos os frequentadores deste forum que HÁ UM SUJEITO DEFICIENTE com pensão de 1800 euros que se diz SOCIALISTA utilizando vários nicks, tais como Massa Bruta, Ranhoso, Fanhoso, Da Boina, Tavares, Maria Amélia, escroto, investidor, olx, Tomas, Carp Diem, h, Cipião, Hx400, g, supositório, Manel, Nuno e outros, que padece de grave desequilíbrio mental gostando de insultar pessoas, UTILIZAR NICKS DE OUTROS, entre os quais o do Criador de Touros, do Lusa Atenas, AB, do Rosa Pereira e o meu, Psiquiatra. Quando ele ler este comentário irá apagá-lo, pois recusa retratar-se e tratar os outros com respeito. Tenham paciência com ele pois é muito ATRASADO.

Skizy Há 4 semanas

O BCP tem potencial, mas devido ao seu passado recente precisa para já que a fosun segure nos shorts como fez sexta passada. A seu tempo com o rating das agencias a subir irá recuperar parte dos 90% que perdeu em 2 anos.

ver mais comentários
pub