Obrigações Portugal vai emitir dívida a 28 anos

Portugal vai emitir dívida a 28 anos

O IGCP volta ao mercado para emitir dívida até mil milhões de euros. Pela terceira vez na história vai emitir títulos com maturidade próxima de 30 anos.
Portugal vai emitir dívida a 28 anos
Pedro Elias
Nuno Carregueiro 07 de julho de 2017 às 16:39

Na próxima semana, o IGCP volta ao mercado para emitir dívida até mil milhões de euros, num duplo leilão de títulos com uma maturidade de 10 e 28 anos. 

 

"O IGCP, E.P.E. vai realizar no próximo dia 12 de Julho pelas 10:30 horas dois leilões das OT com maturidade em 14 de Abril de 2027 e 15 de Fevereiro de 2045, com um montante indicativo global entre EUR 750 milhões e EUR 1000 milhões", refere um comunicado do IGCP.

 

No programa de financiamento para o terceiro trimestre, o instituto que gere a dívida do Estado previa a realização de várias emissões de obrigações do Tesouro, "através da combinação de sindicatos e leilões, sendo esperadas colocações de 1.000 a 1.250 milhões de euros por leilão".

 

O IGCP não tinha indicado quantos leilões de dívida de longo prazo iria realizar, nem com que maturidades. Se a emissão de obrigações a 10 anos tem sido prática habitual, o mesmo não se pode dizer da dívida a 28 anos.

 

A última vez que emitiu dívida com maturidade tão longa foi em 2015, quando lançou uma linha de títulos a 30 anos anos. Em Janeiro desse ano abriu uma linha com maturidade a 15 de Fevereiro de 2045, tendo colocado 2 mil milhões de euros, através de uma emissão apoiada num sindicato bancário. 

 

Desta vez a colocação dos títulos será realizada através de um leilão, com a reabertura desta linha co maturidade a 15 de Fevereiro de 2045. Na operação realizada em Janeiro de 2015 o IGCP colocou os títulos a 20 anos com uma taxa de juro implícita de 4,13%.

 

Esta emissão de 2015 foi apenas a segunda vez na história que Portugal realizou uma missão de OT a 30 anos. A primeira foi em 2006, antes da crise financeira, numa operação em que o país obteve três mil milhões de euros com uma taxa de 4,1%.
 

No mercado secundário, os juros das obrigações a 30 anos está hoje nos 4,05%, nível mais elevado desde Maio . É assim expectável que na quarta-feira, quando realizar a terceira emissão da história de títulos com maturidade tão longa, Portugal suporte um custo de financiamento idêntico aos das duas operações anteriores (2015 e 2006).   

 

O IGCP volta assim a aproveitar o momento actual de juros reduzidos nos mercados, para se financiar em prazos muito longos.




A sua opinião25
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas

Para entender a crise de equidade e sustentabilidade que tem afectado as economias desenvolvidas e posto territórios como os de Portugal e Grécia nas más bocas do mundo, é fundamental perceber que para uns serem excedentários ou pagos acima do preço de mercado, outros têm que pagar mais caro quando consomem bens e serviços, pagar mais taxa de imposto quando são tributados, obter menor retorno sobre o investimento quando investem, poupar menos quando aforram, ser pior remunerados, abaixo do seu preço de mercado, quando oferecem trabalho com real procura...

comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

Toda esta canalha e não só no tempo da troika diziam que a divida era insustentável mas continuam a aumenta-la. E o PR? Beijinhos, afetos, abraços, ...

CASALINHO CALOTEIRA Há 2 semanas

É a maior caloteira do país. Está sempre a pedir dinheiro emprestado e não paga....

Maria Há 2 semanas

Esta matéria só ENGANA quem quer...sobretudo os eleitores da "esquerdalha"! Mais uma DÍVIDA BRUTAL A 28 ANOS, já quase nem os meus bisnetos se livram dela! "CORTA aqui, CORTES ali"...e tudo em nome do..."DEFICIT". Ah! que tal as férias, Costa?

Camponio da beira Há 2 semanas

Mas quem votou neste governo não foi para 4 ou 5 anos?

ver mais comentários
pub