Portugal tenta vender até 3,75 mil milhões de euros em dívida no terceiro trimestre
02 Julho 2012, 10:49 por Diogo Cavaleiro | diogocavaleiro@negocios.pt
9
Enviar por email
Reportar erro
0
O IGCP vai realizar dois leilões duplos nos próximos três meses com o objectivo de colocar um montante máximo de 3,75 mil milhões de euros. Portugal volta a emitir dívida a 18 meses em Setembro.
Portugal vai tentar emitir um montante total de 3,75 mil milhões de euros em leilões de títulos de dívida no terceiro trimestre.

O Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público (IGCP) vai realizar dois leilões duplos de dívida, um a 18 de Julho, outro a 19 de Setembro. Em Agosto, o País não vai emitir dívida para os mercados, indica o comunicado sobre o plano de financiamento para o terceiro trimestre publicado no site do IGCP.

A 18 de Julho, a entidade liderada por João Moreira Rato (na foto) pretende colocar títulos de dívida a seis e doze meses. Serão novas linhas de financiamento com um montante indicativo entre 1,75 e 2 mil milhões de euros.

Dois meses depois, a 19 de Setembro, o leilão duplo levado a cabo pelo IGCP contará com títulos de dívida a seis (reabertura de uma linha de crédito) e 18 meses (lançamento de uma nova linha de crédito, num montante total entre 1,5 e 1,75 mil milhões de euros.

“O IGCP acompanhará activamente a evolução das condições de mercado, salvaguardando-se a possibilidade de efectuar alterações ao programa supra indicado”, indica o documento.

Neste momento, Portugal continua a financiar-se directamente nos mercados apenas através de títulos de dívida a curto prazo. No seio do programa de assistência económica e financeira que o País está a receber, está incluído um plano de financiamento a longo prazo. Enquanto continua a registar leilões de curto prazo (máximo de 18 meses), Portugal só tem regresso previsto para os mercados de longo prazo em Setembro de 2013.

Nos primeiros seis meses do ano, o IGCP colocou 14,492 mil milhões de euros nos vários leilões que realizou, de acordo com os dados no site da entidade. O que indica que prevê alcançar os 18 mil milhões de euros nos mercados até Setembro.



(Notícia actualizada às 12h16)


9
Enviar por email
Reportar erro
0
pesquisaPor tags: