Obrigações Procura pelas OTRV superou os 1,8 mil milhões de euros e atraiu 74 mil investidores

Procura pelas OTRV superou os 1,8 mil milhões de euros e atraiu 74 mil investidores

Foram mais de 74 mil os investidores a participar na mais recente emissão de obrigações para o retalho.
Procura pelas OTRV superou os 1,8 mil milhões de euros e atraiu 74 mil investidores
Pedro Elias/Negócios

A procura pelas Obrigações do Tesouro de Rendimento Variável (OTRV) superou os 1,8 mil milhões de euros, de acordo com a apresentação divulgada pela Euronext Lisbon, esta quarta-feira à tarde. Um valor que se situa 39% acima do montante da emissão, que foi aumentado para 1,3 mil milhões de euros.

 

Tal como nas anteriores cinco emissões destes produtos de poupança do Estado, as OTRV foram alvo de forte procura, sendo que só no primeiro dia a procura atingiu 983 milhões de euros, quase o dobro da oferta na altura.

 

No total, foram 74.178 os investidores que participaram nesta emissão. A grande maioria (64.441, ou 86,9% do total) subscreveu entre 1.000 e 20 mil euros. Além disso, 8.800 aforradores investiram entre 20 e 50 mil euros, 618 entre 50 e 100 mil euros e foram 319 os que aplicaram mais de 100 mil euros.

 

A anterior emissão, realizada em Julho deste ano, também atraiu o interesse de mais de 70 mil investidores.

 

A data de liquidação das OTRV decorre a 5 de Dezembro, dia em que o dinheiro sairá das contas dos investidores em troca da entrada dos títulos.

 

Esta nova série de obrigações para o retalho vai pagar uma taxa de juro bruta de 1,1%, uma descida de meio ponto percentual face às emitidas mais recentemente (1,6% em Julho) e metade da remuneração da primeira emissão destes produtos (2,2% em Março de 2016).

 

Segundo o IGCP, as OTRV têm previstas o pagamento de juros, semestral e postecipadamente, em 5 de Junho e 5 de Dezembro de cada ano, ocorrendo o reembolso do capital em 5 de Dezembro de 2022.

Taxas de juro bruta das seis emissões de OTRV:

Novembro de 2017 – 1,1%
Julho de 2017 – 1,6%
Abril de 2017 – 1,9%
Novembro de 2016 – 2%
Agosto de 2016 – 2,05%
Março de 2016 – 2,2%

(Notícia actualizada às 17:40 com mais informação)




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas

Isto tudo porque há um grupo de portugueses que executa a extorsão e a pilhagem de cursos que não são seus e um grupo de portugueses que é extorquido e pilhado pelo primeiro.

comentários mais recentes
Invicta Há 2 semanas

E com estas compras estão os Bancos salivando com o que vão arrecadar. É comissões disto e daquilo, que no fim, o investidor recebe um papel que nada vale a troco do dinheiro que emprestou e pouco acima de zero de rendimento.

Anónimo Há 2 semanas

Isto tudo porque há um grupo de portugueses que executa a extorsão e a pilhagem de cursos que não são seus e um grupo de portugueses que é extorquido e pilhado pelo primeiro.

Cuidado com o Estado! Cuidado com a dívida! Há 2 semanas

Depois se Portugal reestruturar a dívida como quer o BE e o PCP, e perderem as vossas economias não venham para a rua lamuriarem-se! O Estado deve 250 mil milhões de €! Uma dívida impagável como dizia o Sócrates. A dívida é para rolar não para pagar!

Saber mais e Alertas
pub