Bolsa Procura por valores-refúgio deixa Wall Street no vermelho

Procura por valores-refúgio deixa Wall Street no vermelho

As bolsas norte-americanas abriram em terreno negativo, penalizadas pela incerteza que se gerou a nível mundial com os atentados de ontem na Catalunha. Os investidores estão a virar-se para activos que consideram mais seguros em tempos de incerteza.
Procura por valores-refúgio deixa Wall Street no vermelho
Bloomberg
Carla Pedro 18 de agosto de 2017 às 14:37

Os mercados accionistas do outro lado do Atlântico abriram em baixa, se bem que com descidas pouco expressivas, depois de ontem terem já acusado no fecho as preocupações em torno dos atentados em Espanha, ao caírem mais de 1%.

 

O Dow Jones segue a cair 0,10% para 21.729,00 pontos e o Standard & Poor’s 500 desvaloriza 0,17% para 2.425,94 pontos.

 

Também o índice tecnológico Nasdaq Composite segue o movimento de queda, a resvalar 0,01% para se estabelecer nos 6.221,20 pontos.

 

Os ataques terroristas na Catalunha deixaram os investidores receosos, levando-os a procurarem segurança nos chamados activos-refúgio, como o ouro, franco suíço e iene.

 

Em contrapartida, nos mercados accionistas, os sectores que estão a ser mais pressionados são os das companhias aéreas e hotéis.

 

Depois de dissipados os maiores receios em torno de uma potencial guerra nuclear entre os EUA e a Coreia do Norte, os mercados financeiros estiveram esta semana a acusar algum desconforto relativamente à controvérsia sobre os confrontos do passado sábado em Charlottesville, que resultaram num morto e mais de três dezenas de feridos. 

 

A sua reacção tem sido considerada muito branda, o que levou a uma debandada dos seus consultores para o domínio corporativo, tendo Trump anunciado ontem o fim de dois conselhos de consultoria empresarial.

 

Ontem, já depois do fecho da bolsa, surgiu a notícia de que o presidente norte-americano decidiu também abandonar o plano de criar um conselho consultor para as infra-estruturas, o que deixa recear pelo seu ambicioso programa de forte investimento em infra-estruturas.

 

Entretanto, os atentados em Espanha vieram exacerbar o sentimento de incerteza que se gerou. Os investidores retiram dos fundos de acções 1,3 mil milhões de dólares entre quarta-feira da semana passada e quarta-feira desta semana (16 de Agosto).




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 18.08.2017

O ciclo está a chegar ao fim, os nervos estão ai para ficar!!!

pub