Petróleo Produção petrolífera da OPEP terá diminuído em Agosto

Produção petrolífera da OPEP terá diminuído em Agosto

A produção petrolífera da Organização dos Países Exportadores de Petróleo deverá ter diminuído no mês passado, de acordo com fontes da Bloomberg. A Arábia Saudita também deverá ter cortado a sua produção.
Produção petrolífera da OPEP terá diminuído em Agosto
DR
Ana Laranjeiro 12 de setembro de 2017 às 11:59

As estimativas da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) devem mostrar uma diminuição da produção da matéria-prima no mês passado, apontam fontes à Bloomberg.

Os 12 países que integram o cartel assinaram um acordo em Novembro passado que previa um corte na produção de petróleo, com o objectivo de combater o excedente de oferta e, por conseguinte, tentar elevar os preços. Esse acordo tinha a vigência de Junho deste ano. Contudo, antes do fim do prazo, a OPEP e os seus aliados acordaram em ampliar a vigência desse mesmo acordo até ao fim do primeiro trimestre de 2018.

As fontes da agência Bloomberg indicam que os membros da OPEP terão produzido 30,004 milhões de barris/dia em Agosto, um valor que, a confirmar-se, fica abaixo dos 30,113 milhões de barris.

A Arábia Saudita, o principal produtor da matéria-prima, também reduziu a produção de petróleo: em Agosto terá criado 10,022 milhões de barris, de acordo com fontes da agência. Este valor fica abaixo dos 10,049 milhões de barris em Julho.

A OPEP divulga hoje o relatório mensal sobre o mercado petrolífero. Além do relatório da OPEP, vão ser divulgadas mais novidades hoje no sector da energia, com a Agência Internacional da Energia (AIE) a apresentar o seu outlook de curto prazo para o sector.


Por esta altura os preços do petróleo estão a cair nos mercados internacionais. O West Texas Intermediate recua 0,52% para 47,81 dólares por barril. E o Brent do Mar do Norte, referência para Portugal, desce 0,32% para 53,67 dólares por barril.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar