Bolsa PSI-20 com maior série de subidas desde Julho de 2016

PSI-20 com maior série de subidas desde Julho de 2016

A bolsa nacional chegou a negociar em máximos de dois meses, no dia em que completou a oitava sessão consecutiva de ganhos. Na Europa, o dia também é de subidas.
PSI-20 com maior série de subidas desde Julho de 2016
Pedro Catarino/CM
Rita Faria 19 de setembro de 2017 às 16:44

A bolsa nacional encerrou em alta esta terça-feira, 19 de Setembro, pela oitava sessão consecutiva, o que representa a maior série de subidas desde Julho de 2016. Depois de ter chegado a negociar em máximos de dois meses, o PSI-20 fechou o dia a subir 0,37% para 5.302,15 pontos. Dez cotadas encerraram em alta, sete em queda e uma inalterada.

Na Europa, os principais índices negoceiam com sinal verde, à excepção do alemão DAX, numa altura em que o petróleo está em queda nos mercados internacionais e o euro em alta face ao dólar pela quarta sessão consecutiva.

O Stoxx600 chegou a passar para terreno negativo depois de o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ter admitido "destruir totalmente" a Coreia do Norte, se aquele país não parar o seu programa nuclear. Nesta altura, o índice de referência para a Europa sobe 0,05% para 382,15 pontos.

Se a América "for forçada a defender-se e defender os nossos aliados (Japão e Coreia do Sul) não teremos outra hipótese que não destruir totalmente" a Coreia do Norte", afirmou Trump no seu primeiro discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas.

Em Lisboa, o BCP e a Sonae foram as cotadas que mais animaram o PSI-20. O banco liderado por Nuno Amado valorizou 2,52% para 23,22 cêntimos, continuando a beneficiar da melhoria do rating de Portugal pela S&P. Já a Sonae valorizou 1,6% para 1,015 euros. 

A contribuir para a subida do PSI-20 estiveram ainda a EDP Renováveis, a Navigator e a Altri. A empresa comandada por Manso Neto ganhou 0,35% para 7,119 euros, enquanto a Altri avançou 1,8% para 4,012 euros, depois de o BPI ter melhorado ontem a recomendação para as acções de "underperform" para "neutral".

O BPI também elevou a avaliação da Navigator em 2,3% para 4,45 euros, com base na melhoria das previsões dos preços da pasta e papel, que conduziu a uma subida das estimativas de resultados. Os títulos da Navigator somaram 0,25% para 3,97 euros, o valor mais alto desde Junho. 

Também a Mota-Engil valorizou 1,33% para 2,962 euros. 

Do lado das quedas destacaram-se a EDP, com uma descida de 0,64% para 3,268 euros, e a Pharol, que recuou 1,47% para 33,5 cêntimos. 


(Notícia actualizada às 17:01)




Saber mais e Alertas
pub