Bolsa PSI-20 com saldo semanal positivo após cinco semanas a recuar

PSI-20 com saldo semanal positivo após cinco semanas a recuar

Mesmo tendo terminado a sessão a negociar em queda, a bolsa lisboeta fecha a semana com um saldo global positivo de quase 0,5%, colocando fim a cinco semanas seguidas de desvalorizações. EDP e Mota-Engil pressionaram esta sexta-feira.
PSI-20 com saldo semanal positivo após cinco semanas a recuar
Miguel Baltazar/Negócios
David Santiago 24 de novembro de 2017 às 16:41

O PSI-20 fechou a sessão bolsista desta sexta-feira, 24 de Novembro, a perder 0,50% para 5.283,35 pontos, com 12 cotadas em queda e seis em alta. Com esta desvalorização, o principal índice nacional pôs fim a um ciclo de quatro sessões consecutivas em terreno positivo. Porém, apesar da queda de hoje, o PSI-20 termina a semana com uma valorização semanal de 0,47%, interrompendo assim uma série de cinco semanas consecutivas com saldo global negativo. 

Também a generalidade das principais praças europeias transaccionaram em queda, embora o índice alemão DAX tenha valorizado no dia em que o SPD mostrou disponibilidade para encetar negociações com a chanceler Angela Merkel e assim retirar a Alemanha do actual impasse político que ameaça levar o país a eleições antecipadas. 

Em Lisboa, a EDP foi a cotada que mais penalizou, com a eléctrica a perder 0,61% para 2,909 euros. Também a Mota-Engil pressionou ao recuar 1,83% para 3,385 euros. Na energia o sentimento foi predominantemente negativo, com a EDP Renováveis a deslizar 0,51% para 6,895 euros e a REN a resvalar 2,05% para 2,438 euros, pressionada pelo segundo dia de negociação dos direitos que caíram 7,79% para 14,2 cêntimos, depois de terem acentuado a queda ao longo da sessão.

Em sentido inverso embora com ganhos ligeiros, a Galp Energia avançou 0,03% para 15,925 euros.

Entre as cotadas que mais pressionaram estiveram também os CTT e a Pharol. Os correios nacionais caíram 1,44% para 3,085 euros num dia em que ao tocar nos 3,04 euros estabeleceram um novo mínimo histórico. Já a Pharol resvalou 5,87% para 0,353 euros. 

A travar uma maior descida do PSI-20 esteve a Jerónimo Martins, que apreciou 0,47% para 16,195 euros e também o

BCP que somou 0,12% para 0,2493 euros, isto no dia seguinte a ter anunciado a intenção de realizar uma emissão de dívida com o objectivo de captar um financiamento de 300 milhões de euros.

Voltando ao sector do retalho, a Sonae caiu 1,84% para 1,011 euros, tendo sido uma das cotadas que mais contribuiu para a queda da bolsa nacional. 

Numa nota de "research" divulgada esta sexta-feira, os analistas do Haitong e do BPI antecipam que a REN e a Sonae sejam das cotadas do PSI-20 que deverão ser mais penalizadas pela subida do último escalão da derrama estadual do IRC, dos actuais 7% para os 9%.

(Notícia actualizada às 16:55)




A sua opinião25
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado A Pharol só caiu 6% Há 3 semanas

Até que correu bem. Se eu fosse acionista da Pharol (livra!) estava satisfeito. Tendo em conta que só tem lixo no balanço e que o que há em caixa está a ser consumido com os almoços da Administração (gestores muito inteligentes, bonitos e bem vestidos), não podia ambicionar mais. Em principio ainda chega a 2018. Pelo menos que dê para pagar o jantar de Natal da empresa...

comentários mais recentes
Sonae Há 2 semanas

Claudia Azevedo vendeu acções sonae, segundo o JN. Assim se vê o que já todos percebemos : os manos Azevedo dão ordens de venda ou compra de acções do grupo Sonae, de modo a manipular as respectivas cotações, no seu próprio interesse, enchendo os bolsos à custa dos pequenos investidores como nós !

Sonae Há 2 semanas

Claudia Azevedo vendeu acções sonae, segundo o JN. Assim se vê o que já todos percebemos : os manos Azevedo dão ordens de venda ou compra de acções do grupo Sonae, de modo a percebemos as respectivas cotações, no seu próprio interesse, enchendo os bolsos à custa dos pequenos investidores como nós !

Anónimo Há 3 semanas

Cuidado com o gabi maluco à solta ranhoso massa bruta socialista que perde 300% porque não sabe o que isso é quer ser motorista do pinócrates

Anónimo Há 3 semanas

Será que a demissão do presidente executivo da OI vai ter reflexos negativos na Pharol ou a cotação hoje já refletiu esse efeito? Alguém tem opiniões?

ver mais comentários
pub