Bolsa PSI-20 contraria Europa com queda superior a 20% dos CTT

PSI-20 contraria Europa com queda superior a 20% dos CTT

Os CTT terminaram o dia a descer mais de 20% e pressionaram o principal índice de Lisboa. As restantes praças europeias terminaram o dia do lado dos ganhos.
PSI-20 contraria Europa com queda superior a 20% dos CTT
Pedro Catarino/CM
Ana Laranjeiro 01 de novembro de 2017 às 16:40

Os CTT viveram um dia de fortes perdas e determinaram a queda do índice nacional. O PSI-20 desceu 0,68% para 5.438,62 pontos, com nove cotadas em queda e nove em alta. Entre as restantes praças europeias, o dia foi de ganhos.

Os títulos dos correios terminaram o dia a recuar 21,68% para 3,96 euros, tendo já tocado nos 3,954 euros, o que corresponde a um mínimo histórico. A justificar esta descida abrupta estão os resultados dos primeiros nove meses do ano, que ficaram aquém do esperado, o anúncio de corte de dividendo e a consequente revisão de avaliação por parte de várias casas de investimento.

As acções da Galp Energia recuaram 0,72% para 15,845 euros e pressionou também o principal índice nacional, num dia em que os preços do petróleo negoceiam em queda ligeira. O Brent do Mar do Norte, referência para o mercado nacional, cede 0,23% para 60,80 dólares por barril.

No grupo EDP, a casa-mãe terminou o dia a subir 0,72% para 3,085 euros e a EDP Renováveis ganhou 1,25% para 7,189 euros, tendo nesta sessão tocado no valor mais elevado desde Janeiro de 2016 quando negociou nos 7,347 euros. A REN subiu 0,18% para 2,732 euros.

A Jerónimo Martins cedeu 0,06% para 15,59 euros. A Sonae ganhou 0,39% para 1,032 euros.

O BCP perdeu 1,05% para 25,38 cêntimos. E a Nos recuou 0,37% para 5,125 euros.


A Mota-Engil valorizou 4,35% para 3,598 euros, o que representa um máximo de Abril de 2015.


No sector da pasta e do papel duas cotadas tocaram em máximos. A Altri terminou o dia a subir 1,57% para 5,571 euros, depois de ter negociado nos 5,578 euros – o valor mais elevado de sempre. A Navigator valorizou 2,31% para 4,48 euros, depois de ter tocado nos 4,489 euros – máximo de Maio de 2015.



(Notícia actualizada às 16:53)