Bolsa PSI-20 derrapa quase 1% com BCP a pressionar

PSI-20 derrapa quase 1% com BCP a pressionar

Com a maioria das cotadas em queda, o PSI-20 desce quase 1% e lidera as perdas entre as principais congéneres europeias. Apesar dos dados que indicam um forte crescimento no final do ano passado na Zona Euro, a queda das matérias-primas e as expectativas em torno do discurso do Estado da União dominam as atenções.
PSI-20 derrapa quase 1% com BCP a pressionar
Pedro Catarino/CM
Ana Laranjeiro 30 de janeiro de 2018 às 12:24

O principal índice da praça de Lisboa está a aprofundar a queda registada no arranque da manhã, sendo inclusivamente a bolsa que mais perde entre as principais congéneres europeias. Com 16 das 18 empresas que compõe o índice no vermelho, o PSI-20 desce 0,83% para os 5.682,84 pontos.

Madrid é a segunda praça que mais desce na Europa, numa em que permanece a incerteza política em torno da Catalunha. O Stoxx 600, índice de referência, desvaloriza 0,44%.

Apesar de ter sido revelado esta manhã que o produto interno bruto da Zona Euro cresceu 0,6% nos últimos três meses de 2017 em relação ao terceiro trimestre e 2,7 comparando com o quarto trimestre de 2016, a queda das matérias-primas e as expectativas em torno do discurso do Estado União, que vai ser hoje proferido pelo presidente dos EUA, Donald Trump, dominam as atenções.

Em Lisboa, no PSI-20, as acções do BCP e da Galp Energia são das que mais recuam. Os títulos do banco liderado por Nuno Amado desvalorizam 1,91% para 32,32 cêntimos. O BPi dá hoje o pontapé de saída na época de apresentação de resultados do quarto trimestre, sendo que os números do BCP serão anunciados a 14 de Fevereiro.

Já no sector energético, onde as quedas são generalizadas, a Galp Energia perde 1,20% para 15,68 euros, numa altura em que os preços do petróleo nos mercados internacionais estão no vermelho. O Brent do Mar do Norte, referência para as importações portuguesas, desce 0,35% para 69,22 dólares por barril.

A EDP recua 0,80% para 2,846 euros e a EDP Renováveis desvaloriza 0,85% para 7,03 euros. Enquanto a REN cai 0,70% para 2,538 euros.

Ainda entre os pesos pesados da bolsa nacional, destaque para a Jerónimo Martins que desce 0,52% para 17,255 euros enquanto a concorrente Sonae ganha 0,94% para 1,287 euros, tendo já tocado no valor mais elevado desde Agosto de 2015 nesta sessão, ao negociar nos 1,296 euros.

A outra cotada em alta é a Nos, que sobe 0,09% para 5,425 euros.

Numa altura em que o euro sobe 0,42% para 1,2435 dólares, as papeleiras seguem em queda. A Altri desvaloriza 1,51% para 4,88 euros, a Navigator desliza 0,70% para 4,51 euros e a Semapa cai 1,08% para 18,30 euros.




pub