Bolsa PSI-20 desce 1% com BCP em mínimos e BPI a afundar

PSI-20 desce 1% com BCP em mínimos e BPI a afundar

Em queda pela quarta sessão consecutiva, a bolsa nacional contraria o optimismo das congéneres europeias, penalizada sobretudo pelo BCP, que perde quase 8%, e pelo BPI, que afunda mais de 16%.
PSI-20 desce 1% com BCP em mínimos e BPI a afundar
Sara Matos/Negócios
Rita Faria 09 de fevereiro de 2017 às 10:20

A bolsa nacional está a acentuar a tendência negativa do início da sessão, com o PSI-20 a desvalorizar 0,96% para 4.516,18 pontos. Nesta que é a quarta sessão consecutiva de perdas para o principal índice nacional, oito cotadas seguem no vermelho, oito em alta e duas inalteradas. O BPI e o BCP são os principais responsáveis por esta desvalorização, com o primeiro a afundar mais de 16% e o segundo a negociar em novos mínimos.

Lisboa contraria, desta forma, a tendência das principais praças europeias, que seguem animadas pelos resultados das empresas, como o Société Générale, que superou as estimativas dos analistas. Além das contas das empresas, os investidores estarão ainda atentos à reunião entre a chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente do BCE, Mario Draghi, que decorre esta quinta-feira.

Por cá, o BPI afunda 16,67% para 87,5 cêntimos, depois de ter chegado a desvalorizar um máximo de 19,05% para 85 cêntimos – a maior queda desde 1999 e a cotação mais baixa desde Setembro de 2015.

É o resultado da OPA do CaixaBank que, soube-se ontem, ficou com 84,5% do capital do banco. Além disso, a Allianz permanece com 8,43% da instituição que será liderada por Pablo Forero, pelo que o "free float" ficará reduzido a cerca de 7%. Nesse sentido, a Euronext decidiu excluir o BPI do PSI-20 já esta sexta-feira, ficando o principal índice português com apenas 17 cotadas até à próxima revisão a 20 de Março.

Já o BCP desce 7,81% para 13,46 euros, após ter chegado a afundar 8,42% esta manhã para 13,37 euros, um novo mínimo histórico. Esta evolução acontece no dia em que se estrearam na bolsa os mais de 14 mil milhões de novas acções do banco liderado por Nuno Amado, resultantes do aumento de capital.

Do lado das perdas estão ainda a Galp Energia e a EDP Renováveis. A petrolífera recua 0,66% para 13,63 euros, enquanto a companhia liderada por Manso Neto perde 0,55% para 6,11 euros.

A evitar maiores perdas do índice nacional estão, por outro lado, a EDP, a Jerónimo Martins e a Nos. A eléctrica ganha 0,4% para 2,774 euros, a retalhista avança 0,95% para 15,995 euros e a Nos soma 0,77% para 5,261 euros.

A Navigator valoriza 1,94% para 3,476 euros, depois de ter anunciado, esta manhã, que os seus lucros aumentaram 10,7% em 2016. A Pharol, que não cai há 11 sessões consecutivas, dispara 6,49% para 36,1 euros, o valor mais alto desde Novembro de 2015. 




A sua opinião19
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
zeca 09.02.2017

VENDAM A SONAE SGPS só em 2020 vai chegar a um euro, comprem ex Portucel, perdem porque querem, ás vezes vender a perder é um bom negócio, e eu que o diga, se comprarem navigator poderão ganhar um euro em cada ação, fora os dividendos, abram os olhos

GESTOR 09.02.2017

NAVIGATOR, ao ultrapassar os 2.46 euros , o que já aconteceu, está o caminho aberto para seguir o ciclo ascendente rumo aos 4.00 euros, antes do dividendos.

Anónimo 09.02.2017

A SONAE SGPS tem comportamentos esquisitos em bolsa! Pela manhã estava a descer e, de momento passou do negativo para o positivo com uma grande diferença de percentagem 1% mais ou menos!A partir daí foi sempre a descer conforme está agora!Estão a só a praticar o short selling?

economista 09.02.2017

EDP, aviso aos pequenos acionistas, a EDP está com uma forte pressão, é referência hoje dos analistas do COMMERZBANK, dizem, passo a citar, a EDP está sob uma indesmentível tendência descendente, só haverá uma viragem ascendente se passar a fasquia dos 3.114 euros, abaixo dos 2.568 e o novo afun.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub