Bolsa PSI-20 em mínimos de dois meses pressionado pela Galp

PSI-20 em mínimos de dois meses pressionado pela Galp

A bolsa lisboeta negociou no vermelho e tocou no valor mais baixo desde 15 de Setembro penalizado pelas perdas registadas pela Galp Energia e pela Jerónimo Martins. O índice de referência europeu segue com a maior série de perdas no espaço de um ano.
A carregar o vídeo ...
David Santiago 15 de novembro de 2017 às 16:41

O PSI-20 encerrou a sessão desta quarta-feira, 15 de Novembro, a recuar 0,16% para 5.260,18 pontos, com nove cotadas em queda e as restantes nove em alta. Num dia em que voltou a transaccionar em mínimos de 15 de Setembro, o principal índice nacional seguiu a tendência de perdas que pintou de vermelho as bolsas europeias.

 

O índice de referência europeu Stoxx600 também tocou em mínimos de Setembro (de dia 13), tendo somado a sétima sessão consecutiva a cair, o mais longo ciclo de perdas desde 2 de Novembro do ano passado. Os sectores do petróleo e automóvel foram os que mais contribuíram para mais uma sessão de perdas do índice que agrega as 600 maiores cotadas do Velho Continente.

 

Por cá foi a Galp Energia que mais pressionou, com a petrolífera a desvalorizar 1,52% para 15,885 euros, seguindo a queda do preço do petróleo nos mercados internacionais. O crude recua perto de 1% em Londres e em Nova Iorque depois derelatório da Agência Internacional de Energia ter revisto em baixa as previsões da procura global da matéria-prima em 2017 e 2018 devido à subida dos preços do barril e às temperaturas mais amenas que se fazem sentir no início deste período de Inverno.

 

Também a penalizar de forma determinante a bolsa lisboeta esteve a Jerónimo Martins que resvalou 1,01% para 15,69 euros. Seguindo no sector do retalho, a Sonae cedeu 0,10% para 0,975 euros. 

Nota negativa ainda para a Pharol que recuou 7,10% para 0,34 euros, o que acontece depois das notícias que dão conta que os responsáveis pela insolvência da Espírito Santo International, no Luxemburgo, estão a preparar uma acção judicial contra a Pharol em que pedem a restituição de 750 milhões de euros. A cotada tocou no valor mais baixo desde 29 de Setembro durante a negociação bolsista. 

Entre as cotadas que mais pressionaram destaque também para a Navigator, que terminou o dia a cair 1,07% para 4,068 euros, numa sessão em que negociou em mínimos de 27 de Setembro. 

Num dia em que as cotadas que integram a praça lisboeta se dividiram a meio entre ganhos e perdas, o BCP que a empresa que mais contribuiu para impedir uma maior desvalorização do PSI-20. O banco liderado por Nuno Amado somou 0,52% para 0,2522 euros, com a instituição ainda a beneficiar dos lucros de 133,3 milhões de euros até Setembro reportados esta segunda-feira.

Nota positiva também para a Nos que ganhou 1,35% para 5,341 euros, depois de ter chegado a transaccionar em máximos de 18 de Agosto, e para os CTT que apreciaram 0,60% para 3,18 euros apesar de durante a sessão terem estabelecido um novo mínimo histórico ao tocarem nos 3,09 euros. Os correios nacionais caíram pelo segundo dia.

Ainda a travar uma descida mais acentuada da bolsa nacional esteve a EDP, que avançou 1,11% para 3,003 euros, e a REN que cresceu 0,54% para 2,612 euros numa altura em que a cotada afiança que o dividendo a distribuir pelos accionistas vai tornar-se mais atractivo depois do aumento de capital de 250 milhões de euros.

(Notícia actualizada às 16:51)




A sua opinião21
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Inapa Há 3 semanas

Uma empresa esquecida na bolsa! Ainda não mexeu! Pessoal vamos atacar a Inapa!

MOTA E.continuo acreditar Há 3 semanas

Quanto mais desce mais sobe . Quando começar a recuperaçao. Nada de anormal sobre esta cotada. Apenas acompanha as gigantes que tambem caem. 4.50 ate ao fim do ano tenho fe.

Jeff Há 3 semanas

Contact Kayzed Consultants


Kayzed Helps the organization in getting ISO Certification and other significance done smoothly and cost effectively. Just fill the simple form and get in touch with us for any kind of services as ISO consultancy training, certification against various standards li

Criador de Touros Há 3 semanas

Se o BCP agora começar a subir os shorts perdem uma pipa de massa. Ao perderem uma pipa de massa, fecharão posições e estarão a fazer subir a cotação imenso. Parece-me que is 0.26 serão o limite dos shorts. Seria bom que a cotação agora ultrapassasse essa marca. Para eu tirar dúvidas !!; )Poderá acontecer agora. Muita gente cobiça a posição da Sonangol. Obviamente que no caso de Angola vender o negócio poderá ser feito fora do mercado, a um ou mais compradores. De repente o BCP ganhou apetências, não completamente inusitadas, mas em termos de mercado está em ponto de rebuçado. Cumprimentos e bons negócios

ver mais comentários
pub