Bolsa PSI-20 em mínimos de seis semanas na pior sessão europeia desde Setembro

PSI-20 em mínimos de seis semanas na pior sessão europeia desde Setembro

Com uma descida de 0,89%, a bolsa nacional foi das que menos recuou num dia de perdas generalizadas para as congéneres europeias. O Stoxx600 vive a pior sessão dos últimos nove meses.
A carregar o vídeo ...
Rita Faria 29 de junho de 2017 às 16:46

Foi mais um dia de perdas para a bolsa nacional, que encerrou com sinal vermelho esta quinta-feira, 29 de Junho, pela terceira sessão consecutiva. Com 12 cotadas em queda, cinco em alta e duas inalteradas, o PSI-20 desceu 0,89% para 5.141,44 pontos, o valor de fecho mais baixo desde 19 de Maio.

 

O índice nacional foi, ainda assim, dos que menos desvalorizaram entre os principais congéneres europeus, numa sessão em que as perdas foram maioritariamente superiores a 1%.

 

A pressionar as acções estão as dúvidas do mercado em relação ao rumo da política monetária do BCE, depois de ter sido divulgado que a inflação na Alemanha subiu inesperadamente para 1,5%, e de o próprio presidente da instituição, Mario Draghi ter garantido esta semana que os factores que pesam sobre a inflação são "temporários".

 

Tanto as palavras de Draghi como os dados da inflação estão a aumentar a perspectiva de que o BCE possa começar a reduzir os estímulos à economia, o que está a beneficiar o euro e a penalizar, por conseguinte, as exportadoras.

 

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, desce 1,35% para 380,61 pontos, o que representa a pior sessão desde Setembro do ano passado.

 

Na bolsa nacional, o BCP e a Nos foram as cotadas que mais penalizaram o PSI-20. O banco liderado por Nuno Amado caiu 2,02% para 23,32 cêntimos, enquanto a operadora deslizou 1,83% para 5,317 euros.

 

Na energia, a Galp e a EDP Renováveis encerraram inalteradas em 13,205 euros e 6,96 euros, respectivamente, enquanto a EDP perdeu 0,80% para 2,868 euros, depois de ter anunciado ontem a decisão de vender toda a posição que detinha na REN, tendo encaixado 51,2 milhões de euros.

A liquidação desta operação "terá lugar a 30 de Junho de 2017, através da entrega das acções contra o pagamento do respectivo preço à EDP", segundo o comunicado divulgado junto da CMVM. Os títulos da REN subiram 0,29% para 2,755 euros.

No retalho, a Jerónimo Martins desceu 1,27% para 17,055 euros e a Sonae ganhou 0,10% para 96,7 cêntimos. 

Além da Sonae, só os CTT fecharam com sinal verde, com uma subida de 1,25% para 5,569 euros. 

(Notícia actualizada às 16:49)