Bolsa PSI-20 em queda em linha com as praças europeias

PSI-20 em queda em linha com as praças europeias

O principal índice lisboeta está a negociar em queda, acompanhando o sentimento das restantes praças europeias. A tensão política em Espanha volta a estar no centro das atenções.
PSI-20 em queda em linha com as praças europeias
Bruno Simão/Negócios
Ana Laranjeiro 19 de outubro de 2017 às 11:27

A bolsa de Lisboa está a negociar em terreno negativo, em linha com as principais praças europeias, numa altura em que as tensões políticas em Espanha voltam a marcar a actualidade.

Terminado o prazo dado por Madrid para que a Catalunha esclarecesse se tinha, ou não, declarado a independência de forma unilateral, o governo de Mariano Rajoy já fez saber que vai reunir o conselho de ministros no próximo sábado para accionar o artigo 155 da Constituição, podendo mesmo vir a suspender a autonomia da Catalunha.

Esta situação está a fazer surgir receios em tornos dos investidores, que podem estar a afastar-se dos activos de risco, como é o caso das acções. Olhando ainda para o panorama europeu, começa esta quinta-feira a cimeira europeia de dois dias em que o tema central em cima da mesa será a saída do Reino Unido da União Europeia.

O PSI-20 desce 0,29% para 5.445,55 pontos, com 14 empresas em queda e quatro em alta. O índice europeu de referência, o Stoxx 600, desce 0,56% e a praça espanhola recua 0,78%, sendo o segundo índice europeu que mais perde.

Na bolsa de Lisboa destaque nomeadamente para as acções do BCP, Pharol e Semapa. As acções do banco liderado por Nuno Amado recuam 0,70% para 25,53 cêntimos, um dia depois de ter sido concluída a venda do Novo Banco à Lone Star. Na edição desta quinta-feira, o Negócios avança que o novo dono do Novo Banco não tem planos para mudar a marca da instituição. Também a estratégia comercial de aposta nas PME é para manter. A Lone Star quer pôr a instituição a dar mais crédito e tem de cumprir as metas europeias.

A Pharol desvaloriza 2,25% para 47,8 cêntimos.

A Semapa perde 0,97% para 16,93 euros. Entre as restantes cotadas do sector da pasta e do papel a tendência é também negativa, com a Navigator a descer 0,25% para 4,319 euros e a Altri desce 0,46% para 5,392 euros.

Na energia, a EDP cede 0,27% para 3,006 euros, no dia em que o Negócios avança que a taxa do carvão pode custar, tanto à eléctrica liderada por António Mexia como à Endesa, cerca de sete milhões de euros. O Haitong considera que esta medida terá um efeito "marginalmente negativo para a EDP".

A EDP Renováveis perde 0,46% para 6,994 euros, a REN perde 0,34% para 2,667 euros. A Galp Energia, por outro lado, ganha 0,13% para 15,625 euros apesar da queda dos preços do petróleo nos mercados internacionais. O Brent do Mar do Norte, referência para Portugal, cai 1,24% para 57,43 dólares por barril.

Em alta está também a Jerónimo Martins, que sobe 0,29% para 15,695 euros. A Sonae cresce 0,78% para 1,028 euros.




A sua opinião23
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Peter resposta ao Luis Há 3 dias

A Oi vale já menos 4,48 reias, portante em relação a pharol valerá 1/4 podendo no futuro próximo ser 1/7, É só fazer as contas. Cuidem da vossa vida pharolistas.

Pharolito Há 3 dias

CALMA RAPAZIADA. Desceu apenas 6% em dois dias quando tinha subido quase 35% numa semana. Estão preocupados porque?. Já vos disse que vai voltar a tocar no 0,50 no dia 23out.

joaoferreira1 Há 3 dias

Amanhã a pharol sobe né pharolito?

luis Há 3 dias

Quando a Oi estava a 5 a pharol valia 0,36, e tinha 22% da empresa brasilera, agora que a oi a 4,62 a pharol vale 0,468, apesar de vir a ter apenas 12% da Oi ou investir 800 milhões de euros. Estranho, está muito perigosa. Será pum pum?

ver mais comentários