Mercados PSI-20 em terreno negativo pressionado por energias e Jerónimo Martins

PSI-20 em terreno negativo pressionado por energias e Jerónimo Martins

A bolsa nacional mantém a tendência negativa da abertura, penalizada com maior impacto pelo sector das energias e pela Jerónimo Martins. Os restantes mercados europeus acompanham a tónica negativa, após o BCE ter anunciado ontem um corte de juros para 0,75%. Apesar da queda, a bolsa prepara-se para subir quase 3% esta semana.
Andreia Major 06 de julho de 2012 às 11:10
O PSI-20 desce 0,65% para 4.831,49 pontos, com quatro cotadas em alta e 15 cotadas em queda. No total da semana, a bolsa nacional valorizou 2,85% e prepara-se para encerrar a quinta semana de ganhos consecutivos, algo que já não acontecia desde Outubro de 2010.

Os restantes mercados do Velho Continente seguem também em terreno negativo, o que demonstra que o corte de juros por parte do BCE para um mínimo histórico não foi suficiente para animar os investidores.

Os mercados já tinham descontado esta descida da taxa directora e atendendo a que o presidente do banco central, Mario Draghi, não anunciou novas medidas de estímulo, as bolsas acabaram por reagir em baixa, tendência que mantêm esta manhã.

O banco central da China também desceu os juros, mas os mercados consideram que estas acções não bastam para revitalizar o crescimento económico.

Os investidores aguardam agora com expectativa os dados do mercado de trabalho norte-americano em Junho.

Por cá, a EDP é a cotada que mais penaliza o índice de referência nacional. A energética recua 0,67% para 1,94 euros. Segue-se a Galp Energia, a perder 0,80% para 10,565 euros.

O restante sector energético regista uma tendência mista, com a EDP Renováveis a ceder 2,32% para 2,741 euros, e a REN a subir 0,10% para 2,042 euros.

Também a Jerónimo Martins está a contribuir para as quedas do índice, a desvaloriza 0,74% para 13,43 euros. A concorrente Sonae deprecia 0,47% para 0,428 euros.

A Brisa diminui 2,69% para 2,461 euros, e o BES recua 2,30% para 0,552 euros. No restante sector da banca a tónica é mista. O BCP perde 1% para 0,099 euros, e o BPI desliza 0,73% para 0,547 euros. O ESFG aprecia 0,36% para 5,30 euros.

A travar maiores quedas do índice está a Portugal Telecom, que aprecia 0,42% para 3,625 euros. Segue-se a Zon, que sobe 0,66% para 2,28 euros. A Sonaecom deprecia 0,45% para 1,33 euros.

A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
OPORTUNIDADE !! 06.07.2012

BCP, «vendi BCP na terca deu para ganhar 15 por cento» estou a pensar ainda o que vou comprar,talvez BCP novamente ou então REN!!

Anónimo 28 06.07.2012

Então onde andam os cromos de porcaria que tanto falam mal do B.C.P. afinal tudo está em queda no PSI20 e o tal banco reles que tanto tentam destruir está a aguentar...daqui a poucos meses o vão ver já a 0.50€ por acção...

Anónimo 06.07.2012

Aprecio muito os seus comentários, ajudam a ter uma melhor perceção do mercado e da situação económica de algumas cotadas.
Continue com o bom trabalho!

Mr Pontes 06.07.2012






Eu, que sou especialista de mercados, fiquei perplexo com a publicidade, que entendo enganosa, da subscrição de "Obrigações Continente 7%".
É que verificando as condições específicas, as Obrigações não são "Continente", mas sim da "Sonae SGPS", o que faz toda a diferença.
Se fossem Obrigações Continente, financiariam apenas a rede de distribuição da Sonae. Ao serem "Obrigações Sonae SGPS", como efetivamente são, financiam todo o grupo Sonae SGPS, nomeadamente o imobiliário que está em forte crise, e mesmo a própria Sonae SGPS que individualmente dá prejuízo (não como grupo, apenas como SGPS em contas individuais).
Eu, aconselharia a compra de "Obrigações Continente 7%" se fossem apenas Continente. Mas já não aconselho a compra de "Obrigações Sonae SGPS" que financiam também o imobiliário, mesmo que a taxa de 7%, pois há taxas sem risco no mercado a quase 5%.
Trata-se duma subscrição aprovada pela CMVM, mas a forma como está a ser publicitada é, entendo, enganosa.

pub