Bolsa PSI-20 fecha em queda com BCP e Galp a recuarem mais de 2%

PSI-20 fecha em queda com BCP e Galp a recuarem mais de 2%

A bolsa nacional, que chegou a negociar em mínimos do final de Setembro, foi penalizada pelas descidas superiores a 2% da Galp Energia e do BCP.
A carregar o vídeo ...
Rita Faria 08 de novembro de 2017 às 16:47

A par com Atenas, a bolsa de Lisboa liderou as perdas na Europa na sessão desta quarta-feira, 8 de Novembro, penalizada pela descida das acções do BCP e da Galp Energia. O PSI-20 desvalorizou 0,40% para 5.330,00 pontos, depois de ter chegado a negociar nos 5.315,88 pontos, o valor mais baixo desde 26 de Setembro. Das 18 cotadas que formam o principal índice nacional, sete fecharam em queda e 11 em alta.

No resto da Europa, os principais índices foram arrastados pelo sector automóvel e da banca, depois dos resultados abaixo do esperado de instituições como o Crédit Agricole e o ABN Amro, que seguem com descidas superiores a 3%.

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, recua 0,08% para 394,32 pontos.

Em Lisboa, o BCP seguiu a tendência do sector, com uma queda de 2,49% para 24,64 cêntimos. Já a Galp perdeu 2,26% para 16,005 euros, depois de ter atingido ontem o valor mais alto desde Junho de 2011.

Ainda na energia, a EDP valorizou 1,62% para 3,012 euros, a EDP Renováveis subiu 0,80% para 7,051 euros e a REN ganhou 0,83% para 2,673 euros.

A penalizar a bolsa nacional estiveram também os CTT, com uma desvalorização de 2,62% para 3,414 euros. A empresa de correios recuperou 1,71% ontem, depois das fortes descidas registadas nas sessões anteriores que levaram as acções a bater sucessivos mínimos históricos, mas já voltou hoje para terreno negativo.

A pressionar estiveram ainda a Navigator, com uma queda de 0,9% para 4,318 euros, e a Nos, que perdeu 0,72% para 4,995 euros, antes de revelar os seus resultados relativos ao terceiro trimestre.

Do lado dos ganhos destacaram-se, além da EDP, os títulos da Sonae, com uma subida de 1,82% para 1,006 euros, e da Semapa, com uma valorização de 1% para 16,655 euros.

Também a Corticeira Amorim ganhou 0,34% para 11,86 euros, depois de ter anunciado ontem que o seu resultado líquido atingiu os 56,4 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, mais 2% do que no mesmo período do ano passado. Em comunicado ao mercado revelou também que vai avançar com uma proposta de pagamento de um dividendo extraordinário de 8 cêntimos por acção. Em reacção a estes anúncios, os títulos chegaram a subir um máximo de 2,79% para 12,15 euros, o que corresponde ao nível mais elevado em duas semanas.


(Notícia actualizada às 16:55)




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
gabi Há 1 semana

Criador de Touros grande porco de direita do senhor doutor pedro passos coelho
vai escrevendo e acusando os outros, mas olha que o ficares agarrado no milenio-bcp e estares a perder mais de 300% pela esperteza saloia que fizes-te
ja lá vâo 5 anos e ades penar muito mais
burro burro
é da esquerda

Anónimo Há 1 semana

o ranhoso socialista é atrasado mental

Anónimo Há 1 semana

O encerramento deve-se ao burgesso do Massa Bruta que só escreve disparates e precisa de internamento urgente!

Anónimo Há 1 semana

Então meus amigos, fecharam o “manicómico “?

Saber mais e Alertas
pub