Bolsa PSI-20 fecha pouco abaixo da linha de água em dia de quedas na Europa

PSI-20 fecha pouco abaixo da linha de água em dia de quedas na Europa

A bolsa nacional foi a que menos desceu na Europa, numa sessão marcada pelos receios em torno de Espanha. Por cá, a Nos e a Pharol foram as cotadas que mais pressionaram.
A carregar o vídeo ...
Rita Faria 19 de outubro de 2017 às 16:43

O dia é de perdas nos mercados accionistas da Europa. E Lisboa, por pouco, não foi excepção. O PSI-20 fechou a sessão desta quinta-feira, 19 de Outubro, a descer 0,02% para 5.460,35 pontos, com nove cotadas em queda, oito em alta e uma inalterada.

 

Na Europa, todos os índices seguem no vermelho, a reflectir os receios em torno da situação em Espanha, onde o Governo central se prepara para suspender a autonomia da Catalunha.

 

Num comunicado divulgado esta manhã, o Executivo liderado por Mariano Rajoy revelou que reunirá em conselho de ministros no próximo sábado para dar seguimento ao artigo 155 que estabelece a possibilidade de suspender o autogoverno da Catalunha a fim de restabelecer o "interesse geral" na região, tal como estabelece o disposto constitucional. 

 

A seguir à bolsa de Atenas, que desvalorizou 1,67%, Madrid foi a praça que mais caiu, com um recuo de 0,77%. O índice de referência para a Europa, que agrega as maiores empresas do Velho Continente, regista a maior descida desde Agosto, perdendo, nesta altura, 0,62% para 389,13 pontos.

 

Em Lisboa, a Pharol e a Nos foram as empresas que mais penalizaram. A antiga PT SGPS deslizou 5,52% para 46,2 cêntimos enquanto a Nos caiu 0,82% para 5,296 euros. O Haitong antecipa que a operadora – que apresenta resultados a 8 de Novembro - terá fechado os primeiros nove meses deste ano com lucros de 106,5 milhões de euros, o que representa uma subida de 35,8% face ao resultado líquido de 78,4 milhões registado no mesmo período do ano passado.

 

A penalizar estiveram também a Corticeira Amorim, com uma desvalorização de 1,35% para 11,72 euros, e a Mota-Engil, que perdeu 1,13% para 3,25 euros.

Pelo contrário, a evitar maiores perdas em Lisboa estiveram as cotadas do sector da energia, com destaque para a Galp. A petrolífera subiu 0,77% para 15,725 euros, um dia depois de o Haitong ter antecipado que os lucros da empresa nos primeiros nove meses terão subido 17% para 421,1 milhões de euros.

 

A REN subiu 0,22% para 2,682 euros, a EDP Renováveis ganhou 0,78% para 7,081 euros e a EDP valorizou 0,20% para 3,02 euros. Num relatório divulgado esta quinta-feira, a Moody’s considerou que a eléctrica conseguirá absorver o impacto negativo das tarifas de electricidade para o mercado regulado em 2018 anunciadas recentemente pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

 




A sua opinião26
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
fja Há 4 semanas

b noite mas vocês teem duvida que pharolito tem razão os fundos estão armados caros chantagistas claro que vai ser aprovado esta na cara, as que tinha vendi 0,51, 90.000 agora so quando começar a disparar mas primeiro vai descer bem faz parte do jogo b noite

O phirolito é um caso de psiquiatria Há 4 semanas

Há uma reuniao: a Pharol vai subir. A AG vai ser adiada: a Pharol vai subir. Amanhã é 6.ª, a Pharol vai subir. Vive numa realidade alternativa, só ele a vê. E claro, a Pharol vai subir...

Anónimo Há 4 semanas

Este pharolito é o novo Curoka cá do sitio. Mais nao digo, ahahahahha.

Pharolito Há 4 semanas

Enquanto escrevo, A Adm. OI neste momento esta em reunião em Nova Iorque com os Bondholders e Moelis (que juntos tem +50% de divida OI) para chegar um consenso. Si a reunião for bem sucedido e com apoio de China development bank já garantido, a AG do OI no dia 23 tem tem tudo para ser um sucesso.

ver mais comentários
pub