Mercados PSI-20 fecha quase inalterado com subida da EDP a compensar queda do BCP

PSI-20 fecha quase inalterado com subida da EDP a compensar queda do BCP

A bolsa nacional encerrou praticamente inalterada, depois de três sessões consecutivas de perdas. As subidas da EDP, CTT e Nos ajudaram a compensar a queda do BCP e EDP Renováveis.
Rita Faria 28 de Outubro de 2016 às 16:46

A bolsa nacional encerrou praticamente inalterada esta sexta-feira, 28 de Outubro, depois de três sessões consecutivas de perdas. O PSI-20 subiu 0,01% para 4.676,10 pontos, depois de ter estado em terreno negativo em grande parte da sessão. Das 18 empresas que formam o principal índice nacional, nove fecharam em alta, oito em queda e uma inalterada. 

Na Europa, os principais índices dividem-se entre ganhos e perdas pouco acentuados após uma verdadeira chuva de resultados. Empresas como o Novo Nordisk e a AB InBev superaram as estimativas ao passo que o UBS ultrapassou as previsões. O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, desce 0,3% para 340,70 pontos.

No plano nacional, as subidas da EDP, CTT e Nos ajudaram a compensar as quedas do BCP e EDP Renováveis.

A EDP ganhou 0,57% para 3,006 euros, contrariando a tendência negativa do sector. A EDP Renováveis deslizou 0,76% para 6,896 euros e a Galp Energia perdeu 0,2% para 12,49 euros, depois de ter revelado, esta manhã, que entre Janeiro e Setembro deste ano obteve um lucro de 361 milhões de euros, o que representa uma quebra de 26% relativamente ao resultado líquido de 490 milhões de euros registado no período homólogo

Os CTT subiram 0,93% para 6,105 euros e a Nos ganhou 0,36% para 6,084 euros. 

Do lado das subidas estiveram ainda a Semapa, Navigator e Sonae. A Semapa ganhou 0,51% para 11,735 euros, a Navigator somou 0,71% para 2,69 euros e a retalhista avançou 0,83% para 72,9 cêntimos. 

Por outro lado, a evitar uma maior subida do PSI-20 esteve o BCP, com uma descida de 2,33% para 1,25 euros. O banco liderado por Nuno Amado desvalorizou pela quinta sessão consecutiva, depois de se ter efectivado a fusão das acções esta segunda-feira. 

Já o BPI caiu 0,18% para 1,131 euros, no dia em que a operação de aquisição pelo CaixaBank foi autorizada pelo Banco Central Europeu (BCE). 

(Notícia actualizada às 16:57)




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
PARA O CEO DO BCP Há 1 semana

Sr. Nuno Amado, faça um enorme favor a todos os pequenos acionistas e ponha o seu lugar à disposição já na próxima assembleia geral ou mesmo antes. Seria um ato de grande dignidade e ajudaria a fazer aqueles acionistas esquecerem o pesadelo da cotação e, sem si, a voltarem a acreditar no seu futuro.

pub