Bolsa PSI-20 fecha segunda semana seguida com perdas superiores a 4%

PSI-20 fecha segunda semana seguida com perdas superiores a 4%

A praça lisboeta negociou no vermelho pelo segundo dia, acumulando a segunda semana consecutiva a desvalorizar acima de 4%. Quedas do BCP, da Galp e da Nos contribuíram para mais uma prestação negativa do principal índice nacional.
A carregar o vídeo ...
David Santiago 09 de fevereiro de 2018 às 16:45

O PSI-20 fechou a sessão desta sexta-feira, 9 de Fevereiro, a perder 1,55% para 5.294,90 pontos, com 15 cotadas em queda, duas em alta e uma inalterada, no segundo dia consecutivo de perdas. Depois de desvalorizar perto de 4,5% na semana passada, a bolsa lisboeta fechou esta semana com um saldo acumulado negativo de 4,02%. No acumulado do ano o PSI-20 recua já 1,73%, o que compara com o ganho de mais de 7% que chegou a marcar em Janeiro.

 

O principal índice nacional seguiu a tendência de perdas registada nas principais praças europeias, com o índice de referência europeu Stoxx 600 a registar também a segunda sessão consecutiva a transaccionar em terreno negativo.

 

Foi uma semana díficil e bem negativa nas principais praças mundiais. Depois da "segunda-feira" negra e de novas quedas na terça-feira, a sessão de quarta-feira permitiu recuperar parcialmente das desvalorizações acumuladas.

 

Contudo, os últimos dois dias foram novamente pintados de vermelho carregado, com grande volatilidade a persistir nos mercados bolsistas. A contribuir para esta volatilidade está a perspectiva de os bancos centrais adoptarem políticas monetárias mais agressivas, em especial através do aumento dos juros, isto porque a inflação está a crescer.

 

Em Lisboa, o BCP voltou a contribuir de forma decisiva para a direcção seguida pela bolsa nacional na sessão de hoje. O banco liderado por Nuno Amado perdeu 3,15% para 0,2894 euros. Apesar das fortes quedas nas últimas semanas, o BCP ainda mantém uma valorização de quase 6,50% desde o início de 2018.

Também a pressionar esteve a Nos (-2,74% para 4,902 euros) e a Galp Energia (-1,29% para 14,505 euros), com a petrolífera a acompanhar a tendência de forte queda do preço do petróleo nos mercados internacionais, isto numa altura em que em Londres o Brent cai mais de 2% para 63,30 dólares por barril, o que representa o valor mais baixo do ano.

 

Ainda no sector energético, o pessimismo persistiu com a EDP Renováveis a perder 0,79% para 6,885 euros, a EDP a recuar 0,63% para 2,697 euros e a REN a ceder 0,08% para 2,428 euros.

 

Com quedas acentuadas fecharam também a Mota-Engil (-3,28% para 3,54 euros) e a Pharol (-4,72% para 0,212 euros), isto depois de na noite de ontem ter sofrido uma derrota judicial na intenção de substituir a gestão da Oi.


No sector do retalho o sentimento dividiu-se com a Sonae a desvalorizar 2,63% para 1,187 euros e a Jerónimo Martins a somar 0,56% para 17,015 euros, tendo a dona do Pingo Doce sido a cotada que mais contribuiu para travar uma maior descida do PSI-20. 

Por fim, a outra cotada que transaccionou em alta foram os CTT que apreciaram 0,42% para 3,332 euros na sessão. 

(Notícia actualizada às 16:50)




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Criador de Touros 10.02.2018

Há 14 comentários, mas algum camarada dos couratos bloqueou isto. Ontem os mercados nos EUA fecharam bem no verde.Alguém que não quer que aí venha uma onda boa !!; )Estes camaradas dos couratos passam o tempo a roer a pastilha.

pub