Bolsa PSI-20 isolado nos ganhos na Europa

PSI-20 isolado nos ganhos na Europa

A bolsa nacional está a ser impulsionada pela subida de 3% da Galp Energia, numa altura em que os índices europeus corrigem de cinco sessões de valorizações.
PSI-20 isolado nos ganhos na Europa
Miguel Baltazar/Negócios
Rita Faria 12 de Dezembro de 2016 às 11:17

A bolsa nacional está a negociar em alta pela sexta sessão consecutiva, com o PSI-20 a ganhar 0,47% para 4.660,00 pontos. Durante a manhã, o principal índice nacional chegou a valorizar um máximo de 1,02% para 4.685,53 pontos, o valor mais elevado desde 27 de Outubro. Das 18 empresas que formam o PSI-20, 11 estão em alta e sete em queda.

Na Europa, depois de um início de sessão em alta, os principais índices inverteram para terreno negativo, corrigindo dos ganhos das últimas cinco sessões. Depois de ter tocado em máximos de Janeiro, o Stoxx600 está a descer 0,39% para 354,01 pontos.

Todos os sectores seguem com sinal negativo, à excepção das empresas de mineração e da energia. Isto numa altura em que o petróleo regista subidas em torno de 4% nos mercados internacionais.

Além da bolsa portuguesa, só a italiana negoceia em terreno positivo, impulsionada pelas cotadas da banca. O sector está a ser animado pela notícia de que o Monte dei Paschi vai avançar com o seu plano de recapitalização privada, para evitar a intervenção do Estado.

No plano nacional, a Galp Energia é a cotada que mais impulsiona o PSI-20. A petrolífera liderada por Carlos Gomes da Silva valoriza 2,99% para 14,28 euros, depois de ter chegado a disparar um máximo de 7,14% para 14,855 euros, o valor mais elevado desde Novembro de 2011.

A Galp acompanha o sentimento do sector na Europa, depois de a Arábia Saudita ter sugerido que poderá reduzir ainda mais a sua produção, na sequência do acordo alcançado entre vários países exteriores à OPEP, no sábado.

Ainda na energia, a EDP desce 0,39% para 2,819 euros e a EDP Renováveis recua 0,84% para 5,884 euros.

A contribuir para os ganhos do PSI-20 estão ainda a Nos, a CTT e a Sonae. A operadora liderada por Miguel Almeida ganha 0,36% para 5,565 euros, os CTT sobem 1,44% para 6,043 euros e a Sonae soma 1,33% para 84,1 cêntimos.

Por outro lado, a evitar maiores ganhos da bolsa de Lisboa estão o BCP e a Jerónimo Martins. O banco liderado por Nuno Amado recua 0,35% para 1,3041 euros enquanto a retalhista perde 0,59% para 15,195 euros. 




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Traduzido por miúdos: Preparem-se para as quedas...

Curoka Há 1 semana

Comprem Altri, eu tenho muitas e vou reforçar. Alta do petróleo, dólar forte, bons dividendos, e mais não vos digo. É uma mina a céu aberto. Ainda hoje vai encerrar positiva. Estão a fazer mais-valias das últimas subidas.BN

Anónimo Há 1 semana

E tudo o Bosta phodeu "A Caixa Geral de Depósitos informou hoje o mercado sobre o plano que submeteu ao Estado e que prevê um aumento do seu capital social em 5.900 milhões de euros, para, "pelo menos, 7.328 milhões"." -> ahahha, com a divida a subir vai aos 7 mil milhoes em 3 meses!

pub