Bolsa PSI-20 no vermelho na quinta semana consecutiva em queda

PSI-20 no vermelho na quinta semana consecutiva em queda

A bolsa nacional fechou em terreno negativo, terminando a semana com o quinto saldo semanal negativo consecutivo, a mais longa série de perdas desde Setembro de 2015. Sector energético foi o que mais pressionou a praça lisboeta.
PSI-20 no vermelho na quinta semana consecutiva em queda
Miguel Baltazar/Negócios
David Santiago 17 de novembro de 2017 às 16:42

O PSI-20 encerrou a sessão desta sexta-feira, 17 de Novembro, a cair 0,25% para 5.258,75 pontos, com 13 cotadas em queda e cinco em alta, com a bolsa nacional a seguir a tendência de perdas que predominou nas principais praças europeias.

 

A bolsa lisboeta acumula perdas na semana, na quinta semana seguida em que o PSI-20 fecha a semana com um saldo global negativo. Trata-se da mais longa de série de perdas desde Setembro de 2015. Nas últimas cinco sessões a Pharol (-13,23%) e a Novabase (-11,19%) foram as cotadas que registaram maiores desvalorizações.

 

Também o índice de referência europeu Stoxx 600 terminou a semana em queda, acumulando duas semanas consecutivas em terreno negativo.

 

No plano nacional foi o sector energético que mais penalizou. A EDP recuou 1,52% para 2,915 euros, com a eléctrica a transaccionar em mínimos de 3 de Novembro ao tocar nos 2,912 euros, no dia em que comunicou à CMVM ter contratado duas entidades para avaliar o interesse dos investidores numa operação de titularização de défice tarifário que a eléctrica pretende realizar. Isto numa altura em que a cotada liderada por António Mexia colocou a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos em tribunal para tentar ter acesso ao estudo da ERSE sobre os contratos CMEC (Custos para a Manutenção do Equilíbrio Contratual).

Na mesma linha, a EDP Renováveis perdeu 0,55% para 6,896 euros, a Galp Energia resvalou 0,54% para 15,69 euros, e a REN deslizou 0,42% para 2,619 euros.

Também a pressionar esteve a Semapa que recuou 1,50% para 15,475 euros, numa sessão em que ao tocar nos 15,425 euros por acção a cotada esteve em mínimos de 27 de Setembro.

Destaque pela negativa ainda para os CTT que resvalaram 1,93% para 3,158 euros no dia em que o Haitong anteviu que a redução do número de trabalhadores dos correios nacionais, já confirmada pela empresa, é "apenas o início" de um plano de reestruturação que deverá ser "muito mais amplo".

A travar uma maior descida do PSI-20 esteve a Sonae, que somou 3,05% para 1,012 euros, a Nos, que apreciou 0,96% para 5,446 euros, e a Pharol, que ganhou 1,49% para 0,341 euros. Nota positiva também para o BCP que cresceu 0,12% para 0,254 euros.  


(Notícia actualizada às 16:48)




pub