Bolsa PSI-20 recupera parte das perdas com BCP a somar mais de 3%

PSI-20 recupera parte das perdas com BCP a somar mais de 3%

A bolsa lisboeta apreciou acima de 1%, tendo assim recuperado parcialmente das fortes perdas acumuladas nas últimas semanas. O PSI-20 seguiu a tendência de fortes ganhos verificada na Europa, apoiado em especial pelo BCP que ganhou perto de 3,5%.
A carregar o vídeo ...
Negócios 14 de fevereiro de 2018 às 16:42

O PSI-20 fechou a sessão desta quarta-feira, 14 de Fevereiro, a somar 1,13% para 374,78 pontos, com 12 cotadas a negociar em alta, cinco em queda e uma inalterada, num dia em que a bolsa lisboeta transaccionou no valor mais alto desde 8 de Fevereiro.

Na Europa também prevaleceu o optimismo, com as principais praças europeias a negociarem em alta. Tanto em Lisboa como na generalidade das bolsas do Velho Continente se verificou uma recuperação parcial face às fortes perdas que marcaram a negociação de acções ao longo das últimas semanas.

 

Também o índice de referência europeu Stoxx 600 tocou num máximo de 8 de Fevereiro, apoiado pelos ganhos registados nos sectores dos media, matérias-primas e automóvel.

 

As bolsas europeias mantiveram assim a recuperação das fortes quedas registadas nos últimos tempos, provocadas essencialmente pela especulação em torno de um acelerar da subida de juros nos EUA. Especulação essa que se intensificou esta quarta-feira, 14 de Fevereiro, depois de ter sido divulgado que a inflação nos Estados Unidos subiu mais do que era esperado, em Janeiro, confirmando os receios que levaram à turbulência nos mercados, na semana passada. Entretanto foi publicado um relatório do comércio a retalho nos EUA, que travou o entusiasmo sobre a economia e atenuou os receios dos investidores.

O BCP esteve em destaque ao avançar 3,39% para 0,3048 euros, isto no dia em que o banco apresenta os resultados referentes ao exercício financeiro de 2017. Em nota de "research", o BPI estima que o banco liderado por Nuno Amado tenha obtido um lucro de 40 milhões de euros no último trimestre de 2017, o que a confirmar-se representa uma quebra de 9% face aos três meses anteriores.

 

Também a apoiar de forma determinante a prestação positiva do principal índice nacional estiveram os CTT, que ganharam 2,33% para 3,334 euros, e a Pharol, que somou 2,86% para 0,2335 euros.

Destaque ainda para o sector energético, em especial a EDP que avançou 1,03% para 2,749 euros numa sessão em que a eléctrica tocou no valor mais alto desde 5 de Fevereiro. A Galp Energia (+0,69% para 14,53 euros), a EDP Renováveis (+0,14% para 7,12 euros) e a REN (+1,23% para 2,474 euros) seguiram a tendência de ganhos.


Nota positiva ainda para a Navigator que apreciou 0,63% para 4,142 euros depois de a adminsitração da cotada ter posto de parte distribuir um dividendo extra na sequência da venda do negócio de granulados de madeira nos Estados Unidos, anunciada no início deste ano.

Já a travar uma maior valorização em Lisboa esteve a Sonae que perdeu 1% para 1,189 euros após ter revelado que não está interessada na aquisição dos activos da Walmart no Brasil. Ainda no sector energético mas em sentido inverso, a Jerónimo Martins subiu ténues 0,09% para 17,29 euros.

Também a impedir uma maior subida do PSI-20 esteve a Mota-Engil ao resvalar 1,42% para 3,46 euros.

(Notícia actualizada às 16:56)




pub