Bolsa PSI-20 toca recorde de 2015 com Galp e Mota-Engil em máximos

PSI-20 toca recorde de 2015 com Galp e Mota-Engil em máximos

A bolsa nacional negociou em máximos de Julho de 2015, na quarta sessão consecutiva de ganhos. Na Europa, o dia também é de ganhos.
A carregar o vídeo ...
Rita Faria 31 de outubro de 2017 às 16:48

A bolsa nacional encerrou em alta esta terça-feira, 31 de Outubro, pela quarta sessão consecutiva, com o PSI-20 a ganhar 0,54% para 5.475,67 pontos. Durante a sessão, o principal índice nacional chegou a negociar nos 5.495,87 pontos, o valor mais elevado desde 6 de Novembro de 2015. Nove cotadas fecharam em alta e nove em queda.  

Lisboa acompanhou, desta forma, a tendência positiva das principais praças europeias, animadas pelos resultados trimestrais das empresas e pelos dados divulgados pelo Eurostat que mostram que a economia da Zona Euro cresceu 0,6% no terceiro trimestre deste ano, um ritmo mais acelerado do que era previsto.

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, ganha 0,4% para 395,47 pontos, um máximo de Maio.

Em Lisboa, os ganhos foram suportados sobretudo pela Galp. As acções da petrolífera subiram 2,41% para 15,96 euros – a cotação mais alta desde Julho de 2011 – a beneficiar do anúncio feito na segunda-feira de que a Galp já está a produzir mais de 100 mil barris por dia e que viu os seus subirem 15% para 416 milhões de euros nos primeiros nove meses de 2017 face ao período homólogo.

Esta manhã, foi a vez de a EDP Renováveis revelar as suas contas. A empresa liderada por Manso Neto fechou os primeiros nove meses deste ano com lucros de 165,5 milhões de euros, o que corresponde a um aumento de 468% relativamente ao resultado líquido de 29,1 milhões de euros que foi obtido entre Janeiro e Setembro de 2016.  As acções desceram 0,13% para 7,10 euros.

Já a EDP valorizou 1,02% para 3,063 euros, dois dias antes de apresentar os seus resultados. Os analistas do CaixaBI antecipam que a companhia comandada por António Mexia tenha fechado os primeiros nove meses deste ano com um resultado líquido de 583 milhões de euros, o que traduz uma queda de 5% face aos lucros de 615 milhões de euros obtidos no mesmo período do ano passado.

 

A contribuir para a subida do PSI-20 estiveram também a Corticeira Amorim, o BCP e a Mota-Engil. A Corticeira Amorim ganhou 1,66% para 11,97 euros, o banco liderado por Nuno Amado somou 0,59% para 25,65 cêntimos e a construtora subiu 2,01% para 3,448 euros, a cotação mais elevada desde Abril de 2015.

 

Do lado das perdas destacaram-se as cotadas do sector do retalho e os CTT. A Sonae recuou 0,19% para 1,028 euros, a Jerónimo Martins perdeu 0,16% para 15,60 euros e os CTT perderam 0,20% para 5,056 euros. 



(Notícia actualizada às 16:53)




Saber mais e Alertas
pub