Bolsa Queda da EDP pressiona bolsa nacional

Queda da EDP pressiona bolsa nacional

A bolsa de Lisboa começou o dia em queda muito ligeira, pressionada nomeadamente pela desvalorização da eléctrica liderada por António Mexia e pela retalhista Jerónimo Martins. Entre as restantes pares europeias, o sentimento é também de perdas.
A carregar o vídeo ...
Ana Laranjeiro 06 de outubro de 2017 às 08:13

A bolsa lisboeta arrancou a última sessão da semana em queda muito ligeira, estando a ser penalizada nomeadamente pela desvalorização da EDP e da Jerónimo Martins. O PSI-20 desce 0,02% para 5.426,64 pontos, depois da recuperação registada na última sessão. Oito empresas estão em alta, oito em queda e duas inalteradas.

Entre as restantes praças europeias, para já, o sentimento é também de perdas ligeiras. Este comportamento das bolsas europeias tem lugar num dia em que os receios em torno da situação na Catalunha continuam presentes no mercado. Ontem o índice espanhol subiu animado com o relato de que os separatistas catalães estariam a tentar encontrar uma forma de protelar uma declaração definitiva de independência.


Isto depois de o Tribunal Constitucional espanhol ter decretado a suspensão da sessão do Parlamento catalão sobre o referendo que estava agendada para a próxima segunda-feira.


Além disso, o governo espanhol estará a ponderar aprovar um decreto que facilite a saída rápida de empresas da Catalunha. Esta possibilidade será debatida hoje em conselho de ministros. Os bancos CaixaBank e Sabadell estudam retirada de sede da Catalunha.


A marcar ainda o dia nos mercados vai estar a divulgação de vários dados económicos, como dados sobre o mercado de trabalho nos EUA. Já esta manhã, foi noticiado que as encomendas à indústria alemã registaram em Agosto a maior subida do ano.

Na bolsa de Lisboa, as acções da EDP são as que mais pressionam, estando a recuar 1,77% para 3,045 euros, depois do Credit Suisse ter revisto em baixa o preço-alvo da cotada.

A EDP Renováveis cede 0,17% para 7,146 euros, a REN desliza 0,18% para 2,726 euros. E a Galp Energia ganha 0,36% para 15,25 euros, isto numa altura em que os preços do petróleo estão em queda nos mercados internacionais. O Brent do Mar do Norte, referência para o mercado nacional, cede 0,21% para 56,88 dólares por barril.

A penalizar o índice português está também a Jerónimo Martins, que desce 0,55% para 16,28 euros. A Sonae cede 0,19% para 1,03 euros. A Nos cai 0,15% para 5,301 euros.


A travar uma queda mais pronunciada da bolsa nacional estão nomeadamente as acções do BCP, que ganham 0,61% para 24,64 cêntimos. Os CTT sobem 0,56% para 5,051 euros. A Pharol valoriza 1,32% para 38,3 cêntimos. 

 

 (Notícia actualizada às 08:23)




Saber mais e Alertas
pub