Bolsa Queda da REN pressiona abertura da bolsa nacional

Queda da REN pressiona abertura da bolsa nacional

A REN reage em queda ao anúncio de compra da Portgás, enquanto as acções da EDP estão a também a evoluir em baixa.  
A carregar o vídeo ...
Nuno Carregueiro 10 de abril de 2017 às 08:16

A bolsa nacional iniciou a semana em queda ligeira, em linha com as principais praças europeias, numa altura em que crescem os receios dos investidores com o aumento da tensão geopolítica, depois da troca de palavras entre a Rússia e os Estados Unidos devido ao conflito na Síria.

 

O PSI-20 abriu a descer 0,16%, com nove cotadas em alta, cinco em queda e outras cinco sem variação. Apesar do nervosismo dos investidores com a situação geopolítica, as praças europeias também marcam perdas apenas ligeiras.

 

Na praça portuguesa é a REN que mais pressiona o PSI-20, com uma queda de 2,36% para 2,85 euros, enquanto a EDP está também em terreno negativo, a descer 0,19% para 3,174 euros.

 

A empresa liderada por Rodrigo Costa anunciou na sexta-feira que chegou a acordo para adquirir a Portgás à EDP, numa operação que avalia a EDP Gás em mais de 500 milhões de euros. Para financiar esta compra, a REN vai aumentar o capital em 250 milhões de euros através de uma oferta pública de subscrição, estimando que a operação seja totalmente objecto de contrato de 'underwriting' a celebrar com Banco Santander, CaixaBI e JP Morgan".

 

Este acordo era, de alguma forma esperado, depois de António Mexia ter informado que estava em processo de venda da Portgás, operação que lhe podia valer 500 milhões de euros. A EDP no mês de Março já tinha comunicado a venda de outra empresa, a espanhola Naturgas, que também tinha a parte de distribuição de gás em Espanha, mas manteve nesse país a comercialização.

 

Ainda a contribuir para a descida do índice accionista, o Banco Comercial Português cede 0,28% para 18 cêntimos, a Jerónimo Martins cai 0,3% para 16,80 euros e a Galp Energia cai 0,17% para 14,495 euros.

 

A impedir uma queda mais acentuada no PSI-20 estão as acções da Nos (0,44% para 5,07 euros), Navigator (0,34% para 3,796 euros) e Mota-Engil (+0,87% para 2,20 euros).

 

Fora do PSI-20, a Teixeira Duarte segue estável nos 30 cêntimos. A construtora anunciou sexta-feira que fechou o ano passado com um lucro de 20,15 milhões de euros, o que corresponde a uma quebra de 40% face ao ano anterior. A contribuir para esta redução de lucros esteve a quebra de 21% do volume de negócios para 1,1 mil milhões de euros, uma descida que foi transversal  aos mercados em que opera, com o volume de negócios dos mercados internacionais a recuarem 21,6%, enquanto o português desceu 17,5%.




A sua opinião9
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Z 10.04.2017

Ainda vai ficar pior que a JM !

Z 10.04.2017

Tanta manipulação nas Sonaes já mete nojo !

Fanhoso 10.04.2017

uns entalados, e eu a comprar ouro em barras em breve
vem ai a guerra nuclear, e ouro e sempre ouro
o dinheiro e ações vai deixar de valer, virá a lei da selva

SERAFIM 10.04.2017

O BCP é um logro. Só serve para os tubarões comerem os lorpas dos pequenos.

ver mais comentários