Matérias-Primas Queda de preço do cacau é um presente para os fãs de chocolate

Queda de preço do cacau é um presente para os fãs de chocolate

Os preços do cacau estão a cair e o chocolate está a ficar mais barato, bem a tempo de colocar ainda mais delícias debaixo da árvore de Natal.
Queda de preço do cacau é um presente para os fãs de chocolate
David Ryder/Bloomberg
Bloomberg 13 de dezembro de 2016 às 18:16

Os contratos de futuros do cacau caíram, na negociação em Nova Iorque, para o valor mais baixo dos últimos três anos. A contribuir para esta descida está o facto de as chuvas estarem a melhorar as colheitas na África Ocidental, que produz mais de dois terços do cacau do mundo em cada temporada. O aumento de produção significa que o mercado está a passar de um défice para o maior excedente em seis anos, de acordo com o Citigroup.

 

A ajudar a aumentar ainda mais esse excedente está o facto de as pessoas estarem a consumir menos chocolate. Nos EUA e na Europa, que são as maiores regiões consumidoras, tem-se procurado opções mais saudáveis.

 

Ao mesmo tempo, os fabricantes reduziram o tamanho dos doces e estão a usar mais recheios, em resultado das medidas de redução de custos tomadas quando o cacau disparou, no período de quatro anos terminado em 2015. Os investidores estão a apostar que a oferta será abundante e a sua posição líquida compradora é a mais baixa desde 2012.

 

Menos procura e mais oferta constitui "um duplo 'baque' para o cacau", sublinha Lara Magnusen, gestora de carteira da Altegris Advisors, que administra activos no valor 2,47 mil milhões de dólares, em La Jolla, Califórnia. "Os preços provavelmente continuarão em baixa devido aos fundamentais".

 

Apostas em queda

 

Os fundos de cobertura de risco (hedge funds) reduziram em 36% a sua posição líquida compradora [ou seja, as apostas no aumento dos preços], para 3.599 contratos de futuros e opções na semana finda a 6 de Dezembro, de acordo com dados publicados pela Comissão de Negociação de Futuros de Commodities dos EUA três dias depois. É a menor quantidade desde Junho de 2012, quando os investidores tinham uma posição líquida maioritariamente vendedora [aposta na queda das cotações].

 

No mercado de futuros nova-iorquino ICE, o cacau afundou 9,4% na semana passada, para 2.170 dólares por tonelada, a maior queda desde 2009 e também a descida mais acentuada entre as 24 matérias-primas que constam do índice Standard & Poor’s GSCI.

 

A queda dos preços do cacau é uma boa notícia para os fãs do chocolate. Os preços no retalho caíram 16% no período de quatro semanas terminado a 6 de Novembro, em comparação com o período de quatro semanas anterior, de acordo com dados da empresa de estudos de mercado IRI, com sede em Chicago, compilados pela Bloomberg Intelligence.

 

Os custos estão a cair num período de maior procura nos EUA. Para o chocolate, a temporada de fim de ano começa com o Dia das Bruxas, comemorado a 31 de Outubro, seguindo-se o Natal, o Dia dos Namorados, celebrado a 14 de Fevereiro (nos EUA, como em Portugal), e a Páscoa, de acordo com a Associação Nacional de Confeiteiros, com sede em Washington.

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 13.12.2016

Se o ditado diz que temos a oferta e a procura,e quando uma delas se sobrepoe a outra vai por certo defenir neste caso o preco.Aqui parece que os dois pratos de balanca ainda funcionam.

pub