Bolsa Queda de quase 5% da Pharol arrasta bolsa

Queda de quase 5% da Pharol arrasta bolsa

A bolsa nacional iniciou o dia em queda, pressionada pela descida acentuada da Pharol. No resto da Europa também é o vermelho que predomina.
A carregar o vídeo ...
Sara Antunes 14 de dezembro de 2017 às 08:09
O PSI-20 está a descer 0,12% para 5.377,21 pontos, com oito cotadas em queda, seis em alta e quatro inalteradas. Entre os congéneres europeus a tendência é igualmente de quedas, num dia que será marcado pelo fim da reunião do Banco Central Europeu (BCE). Ainda que não se prevejam anúncios de alteração da política monetária, os investidores aguardam pelas declarações do presidente da entidade, Mario Draghi. Isto um dia depois de a Reserva Federal (Fed) dos EUA ter anunciado o terceiro aumento de juros este ano.  

Na praça lisboeta, destaque para as acções da Pharol, que voltam a deslizar 4,88% para 0,273 euros, negociando assim em mínimos de Maio. Os títulos da empresa liderada por Palha da Silva estão a reflectir a nova versão do plano de recuperação da Oi, operadora brasileira de que é maior accionista. A solução apresentada resultará na diluição da posição da empresa liderada por Palha da Silva na telecom Oi, com a conversão de créditos em acções e reforço de capital. 

A pesar na negociação está também o BCP, ao perder 0,23% para 0,2567 euros. Assim como o sector da energia, com a EDP e a EDP Renováveis a cederem menos de 0,2% para 2,925 euros e 6,61 euros, respectivamente. A Galp também perde 0,19% para 15,70 euros.

Do lado oposto está a Sonae SGPS, que já tocou num novo máximo de Outubro de 2015, seguindo a subir 0,09% para 1,142 euros. A Nos também ajuda a travar a queda, ao avançar 0,27% para 5,591 euros.

(Notícia actualizada com mais informação)



A sua opinião19
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Criador de Touros 14.12.2017

Amanhã subida de rating/saída do lixo de Portugal, pela Fitch. Serão 3 as agências de rating a colocar Portugal fora do lixo. Duas são das principais. Muitos fundos virão fazer compras à praça portuguesa. Como no antecipar é que está o ganho, acabei de reforçar BCP. Assisti à conferência do BCE em directo. Talvez tenhamos subida das taxas de juro antes do final de 2018. Talvez bem antes, já que a pressão da Reserva Federal é um factor a ter muito em conta, para além da evolução dos dados económicos fundamentais para que tal aconteça. Mas poria agora a tónica na pressão de facto da Reserva Federal. Cumprimentos e bons negócios

Re: Tolinho. Mesmo 14.12.2017

Vai marrar com a puta que te pariu e com o corno que te amassou! Vira os cornos para eles e não para mim, pois os teus argumentos são sempre os mesmos chamar tolinhos aos outros, são argumentos de merda tal como tu!

Tolinho. Mesmo. 14.12.2017

Há que compreender a irritação. Pobre coitado. Quando os argumentos faltam e o desastre é evidente, sobra a má-criação. Dinheiro é que não sobra nenhum.

Sadam de Coimbra 14.12.2017

Não sejam patolas.
Bcp e para subir.
No site 4 traders americano, a ordem é comprar no curto-médio-longo prazo.
Os resultados do 4 trimestre serão muito Bons.
O ano de 2018 será muito bom para a banca, e com possível distribuição de dividendos em 2019
Se não houver uma guerra, será bom investir

ver mais comentários