Crédito Queda dos empréstimos às famílias abranda ligeiramente em Novembro

Queda dos empréstimos às famílias abranda ligeiramente em Novembro

A taxa de variação anual dos empréstimos concedidos às famílias foi de -1,5%, em Novembro, o que representa uma melhoria de 0,1 pontos percentuais face ao mês anterior.
Queda dos empréstimos às famílias abranda ligeiramente em Novembro
Bruno Simão
Rita Faria 27 de dezembro de 2016 às 12:14

Em Novembro, a queda dos empréstimos concedidos às famílias, em Portugal, abrandou ligeiramente, devido à subida do crédito à habitação face a Outubro.

 

Segundo os dados revelados pelo Banco de Portugal, em Novembro, a taxa de variação anual dos empréstimos concedidos às famílias foi de -1,5%, o que representa uma melhoria de 0,1 pontos percentuais face a Outubro.

 

Considerando as finalidades dos empréstimos, a taxa de variação anual do crédito à habitação foi de -2,6%, enquanto para o consumo e outros fins foi de 3,4%, uma subida inferior em 0,1 pontos percentuais à registada no mês anterior.

 

O rácio de crédito vencido diminuiu 0,2 pontos percentuais, para 5,1%. A percentagem de devedores do sector das famílias com crédito vencido diminuiu 0,4 pontos percentuais em relação a Outubro, fixando-se em 13,7%. Segundo o Banco de Portugal, a melhoria observada nestes indicadores justifica-se, essencialmente, por vendas de crédito vencido.

No que respeita às sociedades não financeiras, a taxa de variação anual dos empréstimos concedidos situou-se em -2,6%, em Novembro, depois de ter atingido -2,4% no mês anterior. Os empréstimos às empresas privadas exportadoras apresentaram uma taxa de variação anual de -0,5%, reflectindo uma melhoria de 0,1 pontos percentuais em relação a Outubro. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub