Bolsa Reabertura dos serviços públicos nos EUA atira Wall Street para novos máximos

Reabertura dos serviços públicos nos EUA atira Wall Street para novos máximos

As bolsas norte-americanas encerraram em alta, a estabelecerem novos recordes, animadas pelo anúncio do líder democrata do Senado quanto a um acordo para travar o "shutdown" que teve início no sábado.
Reabertura dos serviços públicos nos EUA atira Wall Street para novos máximos
Reuters
Carla Pedro 22 de janeiro de 2018 às 21:26

O Dow Jones encerrou a ganhar 0,55%, para se fixar nos 26.214,60 pontos, tendo na negociação intradiária estabelecido um novo máximo de sempre, nos 26.215,23 pontos.

 

O Standard & Poor’s 500, por seu lado, avançou 0,81% para 2.832,97pontos. Durante a sessão, tocou num nível nunca antes visto, nos 2.833,03 pontos.

 

Também o tecnológico Nasdaq Composite esteve em alta, fechando a somar 0,98%, para 7.408,03 pontos – o que constituiu, simultaneamente um recorde de fecho e um novo máximo histórico.

 

Os investidores mostraram-se optimistas com o acenar de um acordo no Senado [a Câmara dos Representantes já tinha aprovado a solução de financiamento de curto prazo] para acabar com a paralisação parcial do governo federal, que durava há três dias. A luz verde no Senado, que se espera ainda hoje, permitirá assim que os serviços públicos possam funcionar plenamente até 8 de Fevereiro – data em que já terá de haver novo entendimento no Congresso.

 

A expectativa de uma boa época de apresentação dos resultados do quarto trimestre (e anuais) nos EUA continuou também a animar a negociação.

 

Segundo os dados da Thomson Reuters, o consenso dos analistas projecta um aumento de 12,4% dos lucros no quarto trimestre. Das 55 empresas do S&P 500 que já reportaram as suas contas até hoje de manhã, 80% superaram as estimativas – muito acima dos 72% que têm batido, em média, as projecções dos lucros nos últimos quatro trimestres. 

Destaque na sessão de hoje para a Halliburton, que disparou 6,4%, animada por um lucro no quarto trimestre bastante superior ao esperado – isto devido a um aumento da produção de petróleo nos EUA, à conta do xisto betuminoso.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar