Bolsa Receios em torno da administração Trump ditam abertura negativa de Wall Street

Receios em torno da administração Trump ditam abertura negativa de Wall Street

Donald Trump terá despedido James B. Comey da direcção do FBI por este se recusar a fechar a investigação ao ex-conselheiro de Segurança Nacional Michael Flynn. O que levantou receios de uma possível ingerência do presidente numa investigação federal. As bolsas norte-americanas abriram no vermelho.
Receios em torno da administração Trump ditam abertura negativa de Wall Street
Reuters
Ana Laranjeiro 17 de maio de 2017 às 14:40

As principais bolsas norte-americanas arrancaram a sessão desta quarta-feira, 17 de Maio, em queda depois de terem surgido notícias que sugerem que Donald Trump terá despedido James B. Comey da direcção do FBI por este se recusar a fechar a investigação ao ex-conselheiro de Segurança Nacional Michael Flynn. De acordo com a Reuters, estas notícias causaram alarme no Capitólio e levantou a questão se o presidente norte-americano interferiu com uma investigação federal.

 

Além disso, estas notícias, temem os investidores, podem atrasar a implementação de medidas económicas, delineadas na campanha por Trump, como é o caso da reforma fiscal e a regulação bancária, o que está a penalizar as bolsas.

 

O Dow Jones desce 0,88% para 20.794,54 pontos, o Nasdaq recua 0,97% para 6.109,848 pontos e o S&P500 desvaloriza 0,8% para os 2.381,22 pontos.

 

"Os investidores em acções começam a manifestar receios sobre a situação política doméstica, que provavelmente não vão desaparecer rapidamente", disse Peter Cardillo da First Standard Financial, numa nota citada pela Reuters.

"Os mercados de acções têm ignorado o ruído de fora de Washington. Contudo, pensamos que a situação provavelmente vai mudar na medida em que esta crise leva a uma interrupção da agenda pró-crescimento da Casa Branca", acrescentou.

Na banca norte-americana, o JPMorgan Chase ganha 0,31% para 87,61 dólares e o Goldman Sachs cresce 0,21% para 225,60 dólares.

Já nas tecnologicas, o sentimento é diferente. A Microsoft desce 0,63% para 68.97 dólares, isto depois do ataque cibernético da última sexta-feira. No fim-
de-semana a empresa apontou que a responsabilidade pela vulnerabilidade dos sistemas atacados pertencia aos governos por não terem os software actualizados, foi esta terça-feira, 16 de Maio, foi mais longe e apontou o dedo às autoridades norte-americanas. Mais concretamente à Agência de Segurança Nacional (NSA na sigla em inglês).


Brad Smith, presidente da Microsoft, citado pela Bloomberg, acusou a NSA por desenvolver práticas de "hacking" para que sejam usadas contra inimigos dos EUA. O problema é que quando essas vulnerabilidades são tornadas públicas, podem ser usadas por outros.

A Apple desce 0,79% esta quarta-feira para 154,24 dólares.

(Notícia actualizada às 14:48)


A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
LINDO TRABALHO OBRIGADOS Há 1 semana

agradeçia AQUELES srs que HOJE levaram o BCP até aos 0.20 que amanhã o levem até aos 0.19 hoje comprei mais 3 MILHões mas amanhã se ME FIZEREM esse FAVOR vou comprar + 10 MILHÕES MUITO OBRIGADOS e continuem esse vosso LINDO TRABALHO

pub