Research Resultados da Galp superam estimativas dos analistas

Resultados da Galp superam estimativas dos analistas

Os números do primeiro semestre da Galp Energia ficaram acima das estimativas dos analistas.
A carregar o vídeo ...
Sara Antunes 31 de julho de 2017 às 09:16

A Galp Energia anunciou um aumento de lucros de 1% para 250 milhões de euros no primeiro semestre do ano. Após os resultados, a petrolífera liderada por Carlos Gomes da Silva disse que vai rever em alta a sua estimativa de EBITDA para este ano. Isto depois de, no primeiro semestre, ter registado um EBITDA de cerca de 900 milhões de euros, quando a previsão para o conjunto do ano está entre 1,5 e 1,6 mil milhões de euros.

O EBITDA ajustado cresceu para 473 milhões de euros, no segundo trimestre do ano, "superando as nossas estimativas em 2%", salienta o analista Filipe Rosa, do Haitong, numa análise aos resultados. "A Galp apresentou um conjunto sólido de resultados, com o  EBITDA a aumentar e a superar as estimativas, num trimestre que não foi fácil para a indústria", realça o responsável. Ainda assim, os lucros ficaram ligeiramente aabaixo do esperado, já que o banco de investimento antecipava 251,5 milhões de euros. 

 

No que respeita à revisão das estimativas da Galp, o analista do Haitong considera que surge "sem surpresa", uma vez que o mercado já antecipava um valor superior ao que a petrolífera estava a avançar. O Haitong prevê que a Galp feche o ano com um EBITDA de 1,85 mil milhões de euros, enquanto a média de estimativas dos analistas consultados pela Bloomberg aponta para 1,73 mil milhões.

 

"Pensamos que a melhoria das estimativas de capex é mais relevante do que a revisão do EBITDA, que já era amplamente esperado", destaca o mesmo analista.

 

O Haitong tem actualmente uma avaliação de 13,50, o que está 0,63% abaixo da actual cotação (13,585 euros).

 

"Este conjunto de resultados expõe, mais uma vez, os méritos da acção", consideram os analistas do BPI, que dizem que devem "rever em alta as estimativas para reflectir o forte desempenho da divisão de downstream", que inclui refinação, petroquímica, lubrificantes. Por outro lado, a "actualização dos preços da unidade de petróleo e gás deve pressionar as estimativas".

 

Actualmente, as estimativas do BPI apontam para que o EBITDA atinja os 1,67 mil milhões de euros no final do ano.

 

O BPI avalia a petrolífera em 16,10 euros, para o final de 2018, o que confere às acções um potencial de 18,5% face à actual cotação (13,585 euros). A recomendação é de "neutral".

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub