Bolsa Resultados nos EUA levam Dow Jones aos 20.000 pontos

Resultados nos EUA levam Dow Jones aos 20.000 pontos

Os resultados estão a puxar pelas acções americanas. E na Europa também se antecipam números positivos.
Resultados nos EUA levam Dow Jones  aos 20.000 pontos
Reuters
Rui Barroso 25 de janeiro de 2017 às 21:01

Os resultados das empresas americanas estão a deixar os investidores satisfeitos. E na Europa, apesar de a época de resultados ainda estar no início, as expectativas são elevadas. Nos EUA, várias empresas divulgaram números acima das expectativas, o que levou o Dow Jones a atingir pela primeira vez a marca dos 20 mil pontos. Um desempenho que mereceu um "Great" de Donald Trump, no Twitter.

Também o S&P 500 negoceia em máximos, com as bolsas a manterem a tendência de subida registada desde a eleição de Trump. Mas não é apenas o optimismo em torno do Trumpnomics a determinar os ganhos. Os números apresentados pelas empresas estão a passar no exame dos mercados, o que está a acelerar as acções. Segundo a Bloomberg, das 105 cotadas que mostraram resultados do quarto trimestre, 81 bateram as estimativas. Os analistas antecipam que a tendência de quebra dos lucros tenha ficado para trás.

"É esperado que os lucros do quarto trimestre aumentem 6,2% em relação ao ano anterior. Será o quarto trimestre de crescimento homólogo,  confirmando que a recessão nos resultados que se iniciou no terceiro trimestre de 2015 acabou", refere uma análise da Thomson Reuters.

Expectativas positivas

Na Europa, a expectativa também é de crescimento. E, apesar de a época de apresentação de resultados estar numa fase mais inicial, as primeiras indicações são positivas. Esta quarta-feira  o Santander e a Logitech mostraram números  que entusiasmaram os investidores, ajudando o europeu Stoxx 600 a subir 1,3%, para o valor mais elevado em 13 meses. Até esta quarta, houve 11 empresas do Stoxx 600 a mostrar os números ao mercado. E nove reportaram lucros que superaram as previsões.

Segundo a Thomson Reuters, o consenso do mercado aponta para que os resultados no Velho Continente tenham aumentado 13,6% no último trimestre, face a 2015. "É esperado que seis em dez sectores do índice mostrem melhoria dos resultados", conclui.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 25.01.2017

Estes resultados contrariam as previsoes dos pessimistas geringoncos; que previam um desa'stre economico com o governo de Trump.

pub
pub
pub
pub