Bolsa Retalho e grupo EDP dão abertura negativa ao PSI-20

Retalho e grupo EDP dão abertura negativa ao PSI-20

A bolsa nacional acompanha o pessimismo das principais praças europeias, penalizada pelas descidas ligeiras da EDP, EDP Renováveis, Sonae e Jerónimo Martins.
A carregar o vídeo ...
Rita Faria 08 de agosto de 2017 às 08:17

A bolsa nacional está a negociar em queda ligeira esta terça-feira, 8 de Agosto, depois de duas sessões consecutivas de ganhos, com o PSI-20 a desvalorizar 0,08% para 5.271,56 pontos. Das 19 cotadas que formam o principal índice nacional, oito estão em queda, seis em alta e cinco inalteradas.

Lisboa acompanha, desta forma, a tendência negativa das principais praças europeias, depois de a sessão norte-americana ter ficado marcada pelo novo recorde consecutivo do Dow Jones.

Antes da abertura na Europa, foi revelado que as exportações e as importações chinesas subiram menos do que o esperado, no mês passado.

Por cá, as cotadas do grupo EDP são das que mais penalizam o PSI-20, com a casa-mãe a descer 0,29% para 3,146 euros e a EDP Renováveis a deslizar 0,26% para 6,80 euros, um valor ainda superior à contrapartida oferecida pela EDP na OPA, de 6,75 euros.

A empresa liderada por António Mexia ficou longe do patamar necessário para retirar a EDP Renováveis de bolsa, mas os analistas antecipam que o desfecho da operação poderá ser favorável para as acções da eólica e relativamente neutral para a EDP, como escreve o Negócios na edição desta terça-feira.

A contribuir para a tendência negativa está ainda o sector do retalho, com a Jerónimo Martins a ceder 0,32% para 16,905 euros e a Sonae a recuar 0,51% para 97,6 cêntimos.

Do lado das subidas destaca-se o BCP, os CTT, a Galp e a Pharol. O banco liderado por Nuno Amado soma 0,13% para 23,89 cêntimos, os CTT ganham 0,5% para 5,376 euros e a Galp avança 0,14% para 14,18 euros, numa altura em que o petróleo segue com sinal vermelho nos mercados internacionais.

Já a Pharol soma 0,59% para 34 cêntimos. O Negócios noticia que a justiça do Luxemburgo rejeitou a pretensão da Pharol, que queria destituir os responsáveis pela insolvência da Rioforte, a empresa do Grupo Espírito Santo em que antiga PT SGPS investiu 897 milhões de euros em papel comercial. 




A sua opinião23
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Re:BCP, próximo da correção 08.08.2017

Pá tu nem dormes só sonhas com quedas..... TODA A GENTE SABE QUE AS BOLSAS NÃO ESTÃO SEMPRE A SUBIR....

ALGUEM ESTÁ INTERESSADO NA TUA OPINIÃO DE PALHAÇO????

comentários mais recentes
Anónimo 10.11.2017

How to thrive an excellent

this situation are able to begin in a multitude of locations it's about inception, not surprisingly in addition I'd like in the first place the present-day evening whenever you are the 4 year old boy, Zoe, looked in the past me wielding a orange soccer baseball bat and

Anónimo 09.11.2017

years the advantage over Agassi

WIMBLEDON, london Andre Agassi, 33, so Younes El Aynaoui, 31, Two with all the craftiest codgers with you will be able football, presented various other far more friday, even though frequent there seemed to be added at risk while compared to appreciate tonka trucks

JCC 08.08.2017

Mais dois meses sem voltar a abrir o JdN. Que vergonha de comentários. Como é possível o JdN permitir isto?

joaoferreira1 08.08.2017

Mais uma vez venho relembrar que barato barato é o BÓBÓ que a mãe do maluko dos 0,18 faz. Sem a dentadura é veludo. Bons banhos heheheeh

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub