Bolsa Robô faz "jackpot" com queda de 10% do BCP

Robô faz "jackpot" com queda de 10% do BCP

O Susquehanna International passou a controlar uma posição curta de 1,49% no capital do BCP na véspera de afundar 9,46%. Vendeu no dia seguinte.
Robô faz "jackpot" com queda de 10%  do BCP
Patrícia Abreu 09 de fevereiro de 2017 às 07:00
O BCP é o título preferido dos investidores para fazer apostas contrárias na bolsa portuguesa. Mas, há um fundo quantitativo que fez um verdadeiro "jackpot" com uma posição curta no banco liderado por Nuno Amado. Este fundo robô conseguiu um ganho de cerca de 10%, em apenas uma sessão, com uma entrada e saída certeira nas acções do BCP.

Depois de uns dias de recuperação, as acções do BCP regressaram em força às quedas nas duas últimas sessões. Os títulos encerraram a desvalorizar 7% para 14,6 cêntimos na última sessão, mas na véspera fecharam a afundar 9,46%, tendo chegado a tombar mais de 11% durante a sessão. E foi precisamente esta a sessão em que o Susquehanna International Holdings colocou todas as fichas, ao reforçar a sua aposta na queda do BCP.

Este fundo, cujas decisões de investimento são maioritariamente determinadas por fórmulas de algoritmos, comunicou que passou a deter uma posição curta representativa de 1,49% do capital do BCP no dia 6 de Fevereiro, uma participação que encerrou no dia 7, o suficiente para ganhar com a maior queda do banco em três semanas. Ainda que o ganho tivesse potencial para ser maior, caso a posição tivesse sido mantida por mais um dia, esta aposta revelou-se certeira.

"Acreditamos numa abordagem rigorosa e analítica para tomar as decisões", defende no seu site a Susquehanna International, uma gestora que usa modelos quantitativos para identificar as melhores oportunidades. Fundada na Filadélfia e 1987, a instituição abriu um escritório na Europa em 1999. E, ao contrário de outros "hedge funds" que habitualmente apostam na queda na bolsa portuguesa, o Susquehanna International não detinha antes qualquer posição a descoberto no banco.

"Shorts" não desarmam

Com o fecho da posição deste fundo robô, baixou a percentagem de capital do BCP em participações a descoberto. Ainda assim, à data de quarta-feira, continuava a haver uma percentagem relevante de apostas na queda do banco. Há actualmente três fundos de cobertura de risco (Lansdowne Partners, Oceanwood Capital Management e Polygon Global Partners) a antecipar a descida dos títulos do BCP. Juntos mantêm nas mãos 3,05% do BCP.

E, tendo em conta os factores de incerteza que permanecem, estas apostas contrárias poderão continuar a pressionar a negociação do banco português. Caso o banco consiga voltar à rentabilidade e reduzir o crédito de má qualidade há potencial para uma recuperação, desincentivando estas posições curtas.




A sua opinião21
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado JCG 09.02.2017

Essas manadas de reguladores, se supervisores de ministros e governos não aprendem nada com a experiência nem sequer tiram consequências de factos / desastres recentes.
Comportam-se como uma autêntica máfia tendo como principal foco cobrirem-se uns aos outros.
Para mim é questão secundária se o Centenoi mentiu ou não mentiu. Acho que ele (e aquele contrapeso do secretário de estado) mostraram-se o conceito que tinham e têm destas coisas: por eles tudo bem; se preciso fazem-se as leis à medida. Mostraram à evidência o seu nível de consolidação de preceitos e valores democráticos e civilizacionais.
Depois do descalabro e da corrupção que varreu o sector bancário, nada como criar excepções e previlégios e coberturas para aqueles palhaços que convidaram para gerir a CGD.
Repito: aceitarem tais exigências é por si revelador da sua enorme preparação para o cargo.
Aceito que um chefe de governo se engane na escolha de ministros; mas deve corrigir o erro logo que detectado.

comentários mais recentes
Jorge 10.02.2017

Esta escumalha junta-se para especular. E conseguem porque os mais pequenos tremem e vendem e, por isso a cotação baixa. Devia ser proibido vender sem ter. Como é que alguém vende uma coisa que não tem? E andam por aí a falar de moralização! Badalhocos sim, são o que são!

Johnny 10.02.2017

Cázinô wundarbah, wunderschön

Anónimo 09.02.2017

se perder outra vez vou matar um ou dois isso e certo tem de acabar esta merda

0.35 09.02.2017

Quer dizer que os BOTS são permitidos no PSI20??? Realmente os reguladores não fazem treta alguma.... noutros mercados isso é proibido, aqui TUDO é possível! Até no jogo TRAVIAN quem faz isso é expulso!

ver mais comentários
pub