Mercados Saldo da semana: BCP pressiona PSI-20, Trump tira força às bolsas

Saldo da semana: BCP pressiona PSI-20, Trump tira força às bolsas

BCP em Lisboa. Trump nas bolsas mundiais. Foram dos principais factores em foco nas bolsas esta semana.
Saldo da semana: BCP pressiona PSI-20, Trump tira força às bolsas
.
Rui Barroso 13 de janeiro de 2017 às 00:01

BCP em Lisboa. Trump nas bolsas mundiais. Foram dos principais factores em foco nas bolsas esta semana. O PSI-20 acumula uma desvalorização de 2,35% nas últimas quatro sessões, muito à conta da queda das acções do banco liderado por Nuno Amado. Os títulos desvalorizaram mais de 22%. A pressão vendedora intensificou-se após a informação de que o banco iria realizar mais um aumento de capital. Pede 1,33 mil milhões de euros, um valor superior à sua capitalização bolsista. Apesar de ter tido a maior descida, o BCP não foi o único a desvalorizar. Apenas duas cotadas asseguram ganhos no acumulado das últimas quatro sessões. A Jerónimo Martins avança 1,58% e a Navigator ganha 0,12%. Ambas as acções foram sustentadas por análises positivas por parte de bancos de investimento. Nas bolsas mundiais, a conferência de imprensa de Donald Trump desta quarta-feira aparenta ter causado estragos. O presidente eleito não deu grandes detalhes sobre o seu plano económico, que desde as eleições tem sido visto com expectativa por parte dos investidores. Isso contribuiu para que o S&P 500 e o Stoxx 600 apresentem quedas desde o início da semana.



O PSI-20 perdeu 2,35% nas últimas quatro sessões, pressionado sobretudo pela descida de mais de 22% das acções do BCP. A tendência foi de quedas, com apenas duas cotadas a escaparem à maré vermelha: a Jerónimo Martins e a Navigator.




O índice que mede o desempenho das bolsas europeias perdeu 0,80%. As cotadas do sector mineiro, como a Anglo American e a Rio Tinto, impediram estragos maiores. Já a empresa de defesa Cobham, que cortou dividendos, e a Fiat Chrysler, que está a ser investigada devido às emissões tiveram as maiores quedas.



O S&P 500 acumula uma desvalorizaçãode 0,32% desde o início da semana, muito à custa da descida desta quinta-feira. Isto depois de Donald Trump ter-se focado mais nas relações comercias com a China do que no plano económico para os EUA numa conferência de imprensa realizada na quarta-feira.


A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 13.01.2017

Depois dos neo-liberais quase terem aniquilado a economia mundial com a desregulação e com o sub-prime, só faltava mesmo este burguês vir complicar o trabalho de recuperação dos últimos 5 anos... ele que trate de ficar caladinho, vá lá construir o muro e deixe-se de c agar postas de pescada...

pub