Mercados Santander Totta agrava comissões em 20%

Santander Totta agrava comissões em 20%

Os clientes do Santander vão passar a pagar mais pela gestão da conta. O banco anunciou que vai aumentar em um euro por mês esta comissão. O aluguer de cofres e algumas operações de crédito também ficarão mais caras. E já estão previstos novos aumentos.
Raquel Godinho 04 de dezembro de 2017 às 22:00

2018 ainda não começou e já se sabe que vai trazer um agravamento dos encargos para os clientes do Santander Totta. O banco já publicou no seu site a alteração do preçário que vai vigorar a partir de 12 de Janeiro. E, entre as principais mudanças, está o aumento da comissão de gestão das várias contas do banco. A partir do próximo ano, os clientes vão pagar mais um euro por mês. Trata-se de um agravamento que supera os 20%, em alguns casos.

Os meses do Verão foram marcados por uma intensa discussão em torno do tema das comissões bancárias. Isto depois de a Caixa Geral de Depósitos (CGD) ter anunciado que, a partir de 1 de Setembro, a domiciliação de ordenado ou pensão deixaria de garantir a isenção da comissão de manutenção de conta, ficando excluídos os clientes com mais de 65 anos e uma reforma até 835,50 euros. Depois de uma aparente acalmia, estão na calha novos aumentos nas comissões.

O Santander Totta já publicou no seu site a actualização do preçário com entrada em vigor a 12 de Janeiro do próximo ano. E o principal destaque são as comissões de gestão que, em todos os casos, são aumentadas  em um euro por mês. Por exemplo, a Super Conta Global, que tem actualmente uma comissão de gestão mensal de 3,50 euros, passará a custar 4,50 euros, ou 4,68 euros, incluindo o imposto do selo. Trata-se de um agravamento de 28,6%. Mas também a Conta Mundo 123 verá a sua comissão de gestão aumentar de 5,46 euros para 6,50 euros, ou seja, um aumento de 19%. E mesmo as contas associadas ao Mundo 123, que correspondem a um conjunto de serviços e produtos, vão ter uma mensalidade mais cara do que até agora: a conta associada à domiciliação do ordenado aumenta de 4,42 euros para  5,46 euros por mês.

Estas serão as alterações mais significativas, uma vez que vão abranger todos os clientes do Santander. Contudo, não são as únicas. O banco vai também aumentar as comissões relativas a alterações contratuais em segmentos de crédito como o "leasing" de equipamentos. E, no crédito automóvel, na modalidade com reserva de propriedade, a comissão inicial sobe de 12,97 euros para 15,00 euros. E também o aluguer de cofres será mais caro. Por exemplo, um cofre de 20,01 a 30 dm3 aumenta de 61,50 euros para 64 euros. Todos os cofres com dimensões superiores também vão passar a custar mais. 

Novos aumentos em Fevereiro

Mas Janeiro não será o único mês marcado pelo agravamento das comissões no Santander Totta. Isto porque, no site do banco, é também possível encontrar a comunicação de novas alterações um mês depois das primeiras. Ainda assim, neste caso, não serão tantas as mudanças e vão incidir essencialmente sobre os extractos recebidos de forma periódica.

A partir de 9 de Fevereiro do próximo ano, os clientes do Santander Totta que não recebem os seus extractos na versão digital, vão pagar mais para ter acesso a este documento. O extracto semanal sobe de 1,37 euros (ou 1,32 euros sem imposto do selo) para 2,04 euros. Já o extracto quinzenal é agravado de 0,71 euros para 2,04 euros. Além destas comissões, o banco vai também aumentar alguns encargos relacionados com transferências transfronteiriças. 




pub