Obrigações Santander Totta financia-se em 1.000 milhões através de obrigações hipotecárias

Santander Totta financia-se em 1.000 milhões através de obrigações hipotecárias

O banco emitiu obrigações hipotecárias com um prazo de dez anos no dia em que a S&P reviu o “rating” em alta.
Santander Totta financia-se em 1.000 milhões através de obrigações hipotecárias
Bruno Simão

O Santander Totta foi ao mercado para se financiar, aproveitando a boleia das subidas dos "ratings" feitos pela S&P, na sequência da retirada da notação soberana de nível "lixo". O banco liderado por António Vieira Monteira emitiu 1.000 milhões de euros em obrigações hipotecárias a dez anos, com uma taxa de cupão de 1,25%. Estes títulos de dívida são garantidos por carteiras de crédito hipotecário e também são incluídos no programa alargado de compras do BCE.

Segundo um comunicado divulgado pelo banco esta terça-feira, 19 de Setembro, a operação atraiu mais de 150 investidores europeus. O total da procura foi de 3.300 milhões de euros. De acordo com o Santander Totta é a primeira vez desde 2010 que um banco nacional emite este título de títulos com prazo a dez anos.

As obrigações hipotecárias têm sido uma opção de financiamento dos bancos portugueses. Em Maio, por exemplo, o BCP tinha feito também uma emissão de 1.000 milhões de euros de obrigações hipotecárias a cinco anos. O BPI e o Montepio também têm recorrido a operações de financiamento deste tipo.

A emissão do Santander Totta surge no dia em que a S&P subiu o "rating" do banco de BB+ para BBB-, com perspectiva estável. A decisão surge na sequência da melhoria de notação da República. Além disso, a agência referiu que a subida é justificada também pelo facto de ser uma "subsidiária estratégica" do Banco Santander, cuja venda é improvável e que conta com um apoio financeiro de longo prazo por parte da casa-mãe. Se não fosse a classificação de Portugal influenciar a notação do banco, diz a S&P, o Santander Totta seria elegível para grau BBB+.




pub