Bolsa Seedrs cria "bolsa" alternativa para investidores

Seedrs cria "bolsa" alternativa para investidores

A Seedrs quer responder a uma necessidade dos investidores e para isso vai lançar um mercado secundário. Esta “bolsa” pode permitir às empresas “atrair mais capital”.
Seedrs cria "bolsa" alternativa para investidores
Bruno Simão
Ana Laranjeiro 08 de maio de 2017 às 20:03
A Seedrs, uma plataforma luso-britânica de equity crowdfunding, criou uma espécie de bolsa alternativa para os investidores que apostam em empresas através desta ferramenta.

Através desta plataforma, start-ups podem lançar uma campanha para a obtenção de financiamento. Assinalam o montante que pretendem arrecadar e qual o destino que esse dinheiro terá. Os investidores interessados financiam a empresa num determinado montante e passam a ser accionistas dessa empresa.

Mas isto tem um senão para os investidores: como negociar os títulos depois? Para responder a esta questão, a Seedrs decidiu lançar um mercado secundário, onde estas acções podem ser transaccionadas. "A Seedrs decidiu responder a uma forte necessidade dos seus investidores que, até agora, tinham muita dificuldade em negociar as acções de empresas financiadas através de campanhas  na Seedrs", diz fonte oficial da plataforma ao Negócios.

"O objectivo deste mercado é possibilitar aos investidores venderem as acções ou reforçar as suas participações através da compra de títulos neste mercado. Para as empresas, o objectivo é o de que deixem de estar pressionadas para dar uma porta de saída para os investidores e consigam atrair mais capital, uma vez que os investidores passam a ter uma alternativa de liquidez", acrescenta.

A versão beta deste mercado vai arrancar no Verão, estando"aberto" uma semana por mês, começando na primeira terça-feira. Ainda assim, a empresa admite que poderá vir a alargar, no futuro, o período de negociação. Pelo menos na fase inicial, esta espécie de bolsa vai estar disponível apenas para investidores certificados por esta plataforma e que sejam accionistas da empresa que está a negociar no mercado. Este mercado irá incluir apenas empresas que se financiaram através da Seedrs.

As acções, explica fonte oficial, vão ter um "valor justo" que "é definido pela Seedrs que atribui com base na sua política de avaliação, validada pela EY e que respeita as directrizes da International Private Equity and Venture Capital Valuation".

A Seedrs alerta ainda assim, em comunicado, que "os investidores devem estar conscientes que um mercado secundário para acções de empresas privadas tem apresentado historicamente pouca liquidez". O que pode significar que os investidores podem ter dificuldade em encontrar interessados para as posições que queiram alienar.

O objectivo é possibilitar aos investidores venderem acções. Fonte oficial Seedrs

A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Skizy Há 2 semanas

Tendo em conta que 90% das startup falham, é arriscado, mas é so para quem quer!

pub