Bolsa Seguradora holandesa dispara 30% após ser alvo de uma OPA

Seguradora holandesa dispara 30% após ser alvo de uma OPA

O mercado de seguros holandês está a fervilhar, com o grupo NN a lançar uma oferta de compra sobre a Delta Lloyd. As acções estão a disparar em bolsa.
Seguradora holandesa dispara 30% após ser alvo de uma OPA
Bloomberg
Sara Antunes 05 de Outubro de 2016 às 11:58

O grupo holandês NN lançou uma oferta pública de aquisição (OPA) sobre a também holandesa Delta Lloyd. Oferece 5,3 euros por cada acção, ou 2,4 mil milhões de euros. Este valor corresponde a um prémio de 29% face ao valor de fecho das acções da Delta na terça-feira, 4 de Outubro, um dia antes do lançamento da OPA. Em comunicado, o grupo NN realça que esta contrapartida representa um prémio de 53% face à cotação média dos últimos três meses.

 

O NN realça que o objectivo desta operação é o de "criar um líder nos sectores de pensões, seguros de vida e não vida e banca" na Holanda, com uma "plataforma de gestão de activos forte, com uma presença internacional atractiva, oportunidades de crescimento amplas e propostas apelativas para os clientes".

 

O NN Group "apresentou a sua proposta ao conselho executivo e à administração da Delta Lloyd e convidou-os a discutir a proposta com o objectivo de chegar a uma recomendação da operação", acrescenta a mesma fonte.

 

A Delta Lloyd também já emitiu um comunicado onde confirma ter recebido a proposta, "não solicitada", do NN Group, oferta essa que vai analisar, comprometendo-se a responder brevemente.

As acções da Delta estão a disparar 29,01% para 5,314 euros, tendo chegado a ganhar um máximo de 30,83%. Já o NN está a descer 0,55% para 26,92 euros, tendo chegado a perder 4,60%.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub